Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

O nome de Deus



Quando Deus se revelou a Moisés, apresentou a identificação EU SOU (Êxodo 3.1-6, 14). Hebraístas declaram que a sonoridade seria “iodevave”.

As transcrições do nome de Deus que encontramos nas traduções da Bíblia Sagrada, vertida ao idioma português, usam as formas latinas. E, o nome de Deus na época do Antigo Testamento não era pronunciado pelos judeus; escrevia-se o tetragrama YHWH. Os tradutores convencionaram trocar as quatro letras por SENHOR (em maiúsculas) onde os judeus têm ADONAI (que é "o Senhor" em hebraico).

A cura realizada pelo Abba Pai
A Ciência confirma a Bíblia Sagrada
Escrever Deus usando consoante d em forma minúscula. Irreverência? ...
Inspiração divina e autoridade da Bíblia
Não tomarás o nome de Deus em vão
E.A.G.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Salvação e Livre-Arbítrio

Por Eliseu Antonio Gomes

INTRODUÇÃO

O principal plano de Deus foi salvar a humanidade, porém, em concordância com sua sabedoria, deu o livre-arbítrio ao homem.

I. A ELEIÇÃO BÍBLICA É SEGUNDO A PRESCIÊNCIA DIVINA

1. A eleição de Israel.

Qualquer estudo sobre a eleição deve começar por Jesus. Toda conclusão teológica que não fizer referência à doutrina de Cristo seja posta como ação suspeita, pois em Jesus encontramos o amor de Deus.

A eleição de Israel foi ímpar e pontual. Deus tinha o objetivo de enviar o Salvador ao mundo através da nação hebreia. Cristo reflete o Deus que elege. sem fazer acepção de pessoas. Por este motivo o apóstolo Paulo vinculou o amor à eleição ou predestinação.
a. "Antes da fundação do mundo, Deus nos escolheu, nele, para sermos santos e irrepreensíveis diante dele. Em amor  nos predestinou para ele, para sermos adotados como seus filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o propósito de sua vontade" - Efésios 1.4-5.
b. "Portanto, como eleitos de Deus, santos e amados, revistam-se de profunda compaixão, de bondade, de humildade, de mansidão, de paciência" - Colossenses 3.12; 
c. "Sabemos, irmãos amados por Deus, que ele os escolheu" - 1 Tessalonicenses 1.4;
d. "Mas devemos sempre dar graças a Deus por vocês, irmãos amados pelo Senhor, porque Deus os escolheu desde o princípio para a salvação, pela santificação do Espírito e fé na verdade" - .2 Tessalonicenses 2.13.
O Deus que elege é o Deus que ama o mundo inteiro de maneira tal, com um amor indescritível. Por isso não é aceitável a afirmação que Ele escolhe alguns para a salvação eterna e envia outros para a perdição sem-fim.

2. A eleição para a salvação.

A eleição divina é o ato pelo qual Deus chama os pecadores para a salvação em Cristo e torna-os santos. Essa eleição é proclamada através da pregação do Evangelho, e Deus deseja que todos sejam salvos e respondam afirmativamente ao chamado para a salvação. Romanos 8.29-30; João 1.11; Atos 13.46; 1 Corintios 1.9; Atos 2.37; 1 Timóteo 2.4; 2 Pedro 3.9.

A eleição é segundo a presciência de Deus.

3. A presciência divina.

A presciência é a capacidade de Deus saber todas as coisas de antemão e interferir na história humana (Atos 22.14; Romanos 9.23; Neemias 9.21; Salmos 3.5; 9.4; Hebreus 1.3).

Estamos sob os cuidados e a presciência de Deus, mas também desfrutamos paradoxalmente da liberdade do livre-arbítrio dado por Ele, situação que aumenta a responsabilidade humana em obedecer aos seus mandamentos (Hebreus 10.38; Apocalipse 3.20).

II. ARMÍNIO E O LIVRE-ARBÍTRIO

1. Breve histórico de Jacó Armínio (Jakob Hermanzoon)

Armínio, teólogo e reformador, nasceu na Holanda em 1560, foi pastor em uma igreja em Amsterdã, recebeu o título de doutor em teologia pela Universidade de Leiden. Suma mais enfática defesa é o livre-arbítrio humano. Por este posicionamento, enfrentou oposição, falsas acusações por parte dos calvinistas, porém manteve-se sempre manteve postura não combativa, embora firme em suas convicções. Armínio morreu no auge da controvérsia teológica na Holanda, em 1609.

Não trouxe nenhuma novidade à teologia cristã no sentido doutrinário. Para embasar seu parecer, usou em seu método os pais da Igreja, escritos medievais e muitos outros protestantes que lhe antecederam. Assim, refutou duramente algumas doutrinas de linha calvinista, com o objetivo de enfatizar o caráter bondoso, amoroso e justo de Deus.

Nomes arrolados ao lado de Armínio:
Melanchton, líder luterano;
Erasmo, reformador católico;
Balthasar Hubmaier líder anabatista do século XVI;
Menno Simons, líder anabatista contemporâneo de Hubmaster.
Segundo a doutrina arminiana, não apenas a cruz de Cristo é necessária para solicitar e obter a salvação, a fé no sacrifício realizado por Cristo na cruz também é necessária para obter a redenção. Deus elegeu e destinou todos para a salvação (João 3.14-16; 1 Pedro 2.9).

A principal característica do arminianismo é o livre-arbítrio. Os pontos básicos desta doutrina, são:
a. A predestinação depende da maneira de o pecador corresponder ao chamado da salvação. Assim, a salvação está fundamentada na presciência divina; não é um ato que segue única e exclusivamente a vontade de Deus;
b. Cristo morreu, indistintamente, por toda a humanidade, porém somente serão salvos os que crerem;
c. Como o ser humano não tem a capacidade de crer, necessita do auxílio da graça divina;
d. Apesar de não ter fim, a graça pode ser resistida;
e. Nem todos os que aceitaram a Cristo perseverarão.
Antes de existirem tradicionais-históricos, pentecostais e outros, já haviam milhares de cristãos fiéis ao Senhor. . Isso significa que a história da Igreja não teve seu início com uma pessoa ou uma só denominação. Por isso não se justifica guerras teológicas, brigas denominacionais e rompimentos de amizades. A Palavra de Deus não existe para trazer contendas e rivalidades. A diferença teológica não deve servir de motivação para erguer muros de inimizades entre irmãos. Não convém debater sobre o assunto em foco, oremos e nos esforcemos para que não haja ânimos exaltados por causa de linhas doutrinárias diferentes. Antes de Armínio e Calvino, tenhamos em alta consideração Jesus, que é o nosso Salvador. Vivamos nossa fé em Cristo fazendo uso do amor cristão uns pelos outros.

2. O livre-arbítrio.

O Criador fez o homem livre e independente, inteligente e permite que cada indivíduo escolha entre o bem e o mal. Deus quer que todo ser humano, livre e espontaneamente, o ame de todo o coração e mente. Então, em sua bondade, deu para seus filhos a possibilidade de escolha. Ele proveu a salvação para todos, mas nem todos atendem ao seu convite. Assim, Deus cortou Israel por escolha de Israel e enxertou pessoas de outras nações, que creram em Cristo como Salvador e o receberam como Senhor, em seu lugar e foram esses salvos que se tornaram o Israel de Deus (Mateus 21.43; Romanos 11.17-24).

Deus é soberano, amoroso e quer salvar a todos, mas isso não anula o direito de escolha do ser humano. Na Bíblia temos tanto a predestinação divina como a livre escolha humana, em relação à salvação, porém não uma predestinação em que uns são destinados à vida eterna e outros à perdição eterna. O que coube a Deus realizar no plano perfeito da salvação, está feito; mas a parte do ser humano, que é crer e aceitar o sacrifício de Jesus, o homem precisa fazer.

Aqueles que crerem serão salvos; os que não crerem, porém, serão condenados. Alguns, ao ouvirem o Evangelho, se endurecem ainda mais em seus pecados e perdem a oportunidade de salvação (Marcos 16.16; João 1.11; Atos 17.32).

3. O livre-arbítrio na Bíblia.

De acordo com sua soberania, Deus concedeu o livre-arbítrio ao homem. O livre-arbítrio é a possibilidade que os seres humanos possuem de fazer escolhas e tomar decisões  que afetam seu destino eterno, especificamente se tratando da salvação.

A ênfase inconsequente à livre vontade do homem conduz ao engano de uma salvação dependente de obras, conduta e obediência humanas.

III. ELEIÇÃO DIVINA E LIVRE-ARBÍTRIO

1. A eleição divina.

Eleição é a escolha que Deus faz para com grupos e indivíduos com finalidade específica determinada por Ele - no caso do presente assunto abordado, a salvação. Mas a eleição é condicionada à vontade humana. Essa vontade não prejudica em nada a vontade de Deus, pois prevê tudo antecipadamente.

Uma das palavras hebraicas para eleição é "yãdha". Este termo expressa sentido de amorosidade, carrega a ideia de que Deus escolhe porque seus afetos o levam a escolher as pessoas para a salvação.

No texto bíblico capitulado em Romanos 8.29, encontramos o vocábulo grego "proginõskõ", cujo significado remete à eleição amorosa, ao fato de que Deus amou a todos previamente.

2. Escolha humana e fatalismo.

"Portanto, assim como, por uma só ofensa, veio o juízo sobre todos os seres humanos para condenação, assim também, por um só ato de justiça, veio a graça sobre todos para a justificação que dá vida" - Romanos 5.18.

A graça divina é estendida a todos os seres humanos, abre a cada indivíduo a oportunidade de crer no Evangelho, o que descarta a possibilidade de a eleição ser uma ação fatalista de Deus. Por fatalismo, entenda-se acontecimentos que operam independentemente da nossa vontade e dos quais não é possível evitar.

3. A possibilidade da escolha humana.

Uma das informações admiráveis da Palavra de Deus é a que nos faz saber que embora Deus seja o Altíssimo, o Soberano Senhor dos senhores, Ele criou os seres humanos livres, dando-lhes a possibilidade de relacionar-se de maneira espontânea e livre, amando-o de todo o coração.

 Há vários textos bíblicos que apontam para o fato de o ser humano ser livre para escolher:

"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" - João 3.16..

"Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora" - João 6.37.

" Porque: 'Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo' ” - Romanos 10.13.

CONCLUSÃO

O Evangelho é uma dádiva maravilhosamente indescritível entregada a todas as pessoas, independente de merecimentos pessoais. Deus, em sua infinta misericórdia, nos chama para vivê-lo, diariamente: "Venham a mim todos vocês que estão cansados e sobrecarregados, e eu os aliviarei" - Mateus 11.28. Os que aceitam o convite estão predestinados a "serem conforme a imagem de seu filho Jesus (Romanos 8.29).

E.A.G.

As citações bíblicas expostas por extenso são extraídas da Nova Almeida Atualizada (NAA), tradução publicada pela Sociedade Bíblica do Brasil.

Compilação:
A Obra da Salvação. Jesus Cristo é o Caminho, a Verdade e a Vida; Claiton Ivan Pommerening; páginas 85 a 89; 2ª impressão 2017; Bangu/RJ (CPAD);
Ensinador Cristão; ano 18; número 72; página 40; 4º trimestre de 2017; Bangu/RJ (CPAD);
Lições Bíblicas / Professor. A Obra da Salvação - Jesus Cristo é o Caminho, a Verdade e a Vida; Claiton Ivan Pommerening; 4º trimestre de 2017; páginas 54 a 60; Bangu/RJ (CPAD).

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Divorciados no grupo de obreiros - a interatividade do blogueiro com o leitor

Em 24 de abril de 2013 publiquei o artigo Divorciados no grupo de obreiros. Pode?. Trata-se de uma reflexão bíblica, sem a intenção de me posicionar como alguém capaz de fechar o assunto. Continuamos a refletir sobre este tema, polêmico e importante, no espaço de comentário do artigo

Veja a interatividade mais recente, recebida em 11 de novembro passado, enviada por Marcos Roberto Chagas. Importante frisar que o mesmo inseriu a questão de adultério à questão "união conjugal de obreiros divorciados", quando citou o trágico episódio de aproximação íntima entre Davi e Batseba.

A infidelidade conjugal
A família e a sexualidade
As bases do casamento cristão
Briga entre pessoas casadas
Divórcio e novo casamento pela ótica da Reforma Protestante
O Divórcio
Qual a permissão dada na Bíblia para o divórcio?

sábado, 11 de novembro de 2017

Diga não às drogas

Acho que neste mundo ninguém procurou descrever o seu próprio cemitério. Não sei como meu pai vai receber isso, mas preciso de todas as forças enquanto é tempo.

Sinto muto, meu pai, acho que este diálogo é o último que eu tenho com o senhor. Sinto muito mesmo. Sabe, pai, está em tempo do senhor saber a verdade que nunca desconfio. Vou ser breve e claro. Bastante objetivo.

O tóxico me matou. Travei conhecimento com o meu assassino, o tóxico, aos 15 ou 16 anos de idade. É horrível, não pai? Sabe como nós conhecemos isso? Através de um cidadão elegantemente vestido, e bem falante, que me apresentou o meu futuro assassino: o tóxico.

Eu tentei recusar, tentei mesmo; mas o cidadão mexeu com o meu brio dizendo que não era homem. Não é preciso dizer mais nada, não é pai? Ingressei no mundo do tóxico.

Entrevista com um maconheiro
RR Soares e o suicida de Manaus


quinta-feira, 9 de novembro de 2017

A salvação pela graça

Por Eliseu Antonio Gomes

INTRODUÇÃO

O fundamento essencial na dinâmica da salvação é o da graça preveniente. A nossa salvação é fruto exclusivo da graça de Deus. Com graça preveniente se quer dizer que o Espírito Santo chama, convence, ilumina o indivíduo a crer e possibilita a mudança de vida. Falar sobre o chamado de Deus, o que precede a conversão, no sentido de ser dEle a iniciativa do começo de relação com uma pessoa, que é livre para responder a esse chamado com arrependimento e fé. 

I. LEI E GRAÇA

1. O propósito da Lei.

A Lei tem finalidade espiritual, mostra  quão terrível é o pecado, bem como o propósito  concreto de preservar o povo de Israel do pecado.

Provavelmente em nenhuma outra passagem da Escritura a função objetiva da Lei esteja tão bem esclarecida como na Carta aos Gálatas.  O apóstolo Paulo indaga para que é a Lei,  em seguida responde: "Ela foi acrescentada por causa das transgressões, até que viesse o descendente a quem se fez a promessa, e foi promulgada por meio de anjos, pela mão de um mediador" (Nova Almeida Atualizada). E mais adiante: "De maneira que a lei se tornou nosso guardião para nos conduzir a Cristo, a fim de que fôssemos justificados pela fé." (Gálatas 3.19, 24 - Nova Almeida Atualizada).

2. A Lei nos conduziu a Cristo.

O legalismo é antagônico, adverso à graça. A nossa salvação é resultado do favor imerecido de Deus à humanidade pecadora.

O homem é salvo unicamente pela fé em Cristo Jesus, pela graça, e não pelas obras da Lei ou pelo seu esforço em tentar agradar a Deus.

Ninguém é capaz de receber a salvação por méritos próprios ou pela observância da Lei, pois o propósito da Lei, segundo o apóstolo Paulo, era somente apontar o pecado a fim de nos conduzir a Cristo, isto é, servir como um condutor para o encontro com Cristo (Gálatas 3.24). 

A Lei nos convence, por sua impossibilidade de ser cumprida, de que não podemos alcançar a salvação sem a mediação de Cristo. Desse modo, a Lei tem sentido depreciativo para mostrar o estado daqueles que se justificam sob a Lei, quando se torna nossa justiça como mérito humano que impossibilita obter a salvação, somente alcançável por Evangelho da graça. 

3. A graça revela que a Lei é imperfeita.

Tragicamente, a religião oprime, não liberta. O coração humano se enche de culpa por causa do pecado, não consegue se libertar das lembranças do erros cometidos. Busca a graça, mas  o que encontra é a vergonha, o medo do castigo, o sentimento de julgamento e a crítica. Ao procurar a graça na religião, com frequência encontra a sua ausência.

Muitas igrejas estabelecem limites entre o "tempo da Lei" e o "tempo da graça". Embora seja ignorada muitas proibições do Antigo Testamento, mantém seus próprios mandamentos prediletos. Proibições como usar maquiagem e jóias; assistir a ou participar de esportes; sobre o cumprimento das saias para as mulheres; comprimento dos cabelos para os rapazes. Nessas comunidades, as pessoas são tidas como espirituais se obedecem a essas regras sem nexo, muitos não conseguem perceber à contento a diferença entre as dispensações da Lei e da graça.

Antropologicamente, o ser humanos tem a necessidade de expiar sua culpa. Dentro dele há um grito na alma que faz anelar por um preço que precisa ser pago. Muitos crentes não entendem a graça de Deus e acham que precisam ter méritos diante dEle, pagando um preço pela sua salvação. E assim são inventados os esquemas humanos: legalismos, critérios, ordenanças, doutrinas.

A graça é entendida como essencial à salvação, pois através da morte de Cristo, o pecador alcança favor incondicional de Deus, não necessitando de absolutamente nenhum esforço humano para alcançá-la; basta ter fé para a salvação. "E, se é pela graça, já não é pelas obras; do contrário, a graça já não é graça" (Romanos 11.6, NAA).

II. O FAVOR IMERECIDO DE DEUS

1. Superabundante graça.

Uma das maneiras de Deus demonstrar sua bondade é através da graça salvífica. No Antigo Testamento, a ênfase da graça recai sobre o favor demonstrado ao povo da aliança, embora as demais nações também estejam incluídas. No Novo Testamento, a graça, como dom imerecido mediante o qual as pessoas são salvas, aparece primariamente nos escritos de Paulo.

Um importante aspecto do significado de graça em sentido original no grego (charis) é sua relação com a beleza tanto de gestos e palavras  quanto àquilo que dá prazer e provoca júbilo por causa de sua graciosidade presente na beleza das pessoas e suas ações.

As palavras mais frequentemente usadas no Antigo Testamento para transmitir o conceito de graça são "chanan" (demonstrar favor"; "ser gracioso") e suas formas derivadas:

Chên: 
Refere-se usualmente ao favor de livrar o seu povo dos inimigos (2 Reis 13.23; aos rogos pelo perdão dos pecados (Salmos 41.4). Isaías (30.18) revela que o Senhor anseia por ser gracioso com o seu povo. O substantivo "chên" aparece principalmente na frase "achar favor aos olhos de alguém":
a. dos homens (Gênesis 30.27; 1 Samuel 20.29;
b. de Deus (Êxodo 34.9; 2 Samuel 15.25. 
Chesedh:
Significa "bondade fiel"; "amor infalível". Contém sempre um elemento de lealdade às alianças e promessas, expresso espontaneamente em atos de misericórdia e amor.

2. Fé e graça.

Aprendemos a respeito de uma palavra com seu antônimo. Hoje, é dito que o sistema comunista "caiu em desgraça"; descreve-se aquele que não reconhece o bem recebido como "ingrato"; quem comete atos abomináveis é considerado alguém "desgraçado". E aquele que fere as normas de uma instituição com atitudes de traição é taxado como "persona non grata" (indesejável).

A graça nos chama. Um compositor pode inserir uma "nota graciosa" e melódica na partitura, embora não seja essencial à melodia, a inserção acrescenta um brilho tal que a sua ausência é sentida na música. Muitas pessoas "dão graças" antes das refeições, reconhecendo diariamente o pão como uma dádiva de Deus. Somos "gratos" pela bondade do alguém; nos sentimos "gratificados" com boas notícias; "congratulados" quando temos sucesso.

Passamos a conhecer essa salvação porque Deus, em sua graça, nos escolheu. Lançamos mão dessa graça pela fé. A graça opera mediante a fé no sacrifício vicário de Jesus Cristo. Assim, somos salvos pela graça para nos transformar em uma nova pessoa (Gálatas 1.5; 2.6; 6.15).

Ambas, fé e graça, atuam juntamente na obra de salvação: a graça, o presente imerecido de Deus; a fé, a contrapartida humana à obra de Cristo. Nesse sentido, não é a fé que opera a salvação, mas a graça de Deus que atua mediante a fé do crente no Filho de Deus.

3. A graça não é salvo conduto para pecar.

Pecado não é aquilo que necessariamente fere a Deus e nem aquilo que o destrona ou o diminui. É, sim, tudo o que prejudica o ser humano de alguma forma. Quando Deus define o que é pecado, Ele não define pensando nEle, mas, sim, no melhor para o pecador.

A graça jamais é ou será salvo conduto para a prática do pecado ou para a libertinagem, muito pelo contrário, ela nos convoca à obediência em gratidão ao Doador da graça. O favor imerecido de Deus não permite que o ser humano permaneça sob o domínio do pecado, pois aqueles que são alcançados por ela passam a experimentar o processo da santificação.

O cristão não deve resistir ao Espírito Santo, como fizeram os fariseus que arduamente resistiram à mensagem de Jesus Cristo (Mateus 12.22-32). É importante reconhecer a própria condição de pecador e crer no único Salvador.

O pentecostalismo clássico abraça a linha doutrinária do teólogo holandês Jacó Armínio quanto a doutrina da salvação. A teologia de Armínio sempre foi compromissada com a graça de Deus, jamais atribuiu qualquer eficácia salvífica à bondade ou à força de vontade do ser humano. É um equívoco pensar que quem afirma que o ser humano é capaz de resistir à graça de Deus está afirmando que o que define a salvação é a vontade humana. Não havia dúvida para Armínio que a salvação é de graça, provém de Deus, é um presente incomensurável do Altíssimo para o homem.

Alinhado à visão arminiana, o crente pentecostal não tem dificuldade de pregar a graça de Deus e, ao mesmo tempo, reconhecer que a chamada para a salvação pode ser rejeitada pela pessoa. É claro para o pentecostal que nenhuma pessoa pode se arrepender, crer e ser salvo sem o auxílio do Espírito Santo.

III. O ESCÂNDALO DA GRAÇA

1. Seria a graça injusta?

Ao ser comparada com a graça humana, a justiça divina é imensamente perdoadora. Logo, sob a ótica humana, a graça é considerada injusta.

Deus demonstra sua graça, acima de tudo, em sua "operação de resgate", sua salvação dos pecadores (Efésios 2.1-10). Torna-a conhecida dos pecadores ao perdoá-los e absolvê-los, devido à morte do Senhor Jesus Cristo na cruz (Gálatas 1.3, 4).

2. A divina graça incompreendida.

Uma das formas de compreender os conceitos da graça de Deus, que chega até nós por intermédio da eficácia da obra de Cristo  na cruz, e analisar o conceito do termo Palavra dos Vinhateiros. Ali não há méritos por tempo de serviço ou produtividade; a mesma recompensa dos que iniciaram o trabalho no fim do dia é dada aos que começaram no início do dia.

A graça de Deus é estendida a todas as dimensões da vida e não somente na salvação. É o que alguns teólogos chamam de graça comum. Ela é vista no domínio físico quando diz que Deus faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos (Mateus 5.44-45). Nas belezas da criação com suas múltiplas cores, nuances, beleza, mistério. Também é vista na capacidade intelectual de desenvolver o conhecimento, a ciência, a tecnologia, as artes e em tudo que a humanidade cria. Na capacidade que a sociedade tem de, apesar de muita maldade, conseguir organizar-se e viver em harmonia; na organização das religiões, que, mesmo sendo pagãs, revelam traços de mistério divino e da transcendência de Deus.

3. Se deixar presentear pela graça.

Toda a história da salvação é uma sucessão de dons concedidos por Deus. Por conseguinte, a atitude do ser humano que busca ao Senhor deve ser uma atitude de agradecimento Àquele que constitui a fonte inesgotável de seus bens. A gratidão é expressão de uma alma generosa, que não se acha dona de tudo o que tem, sabendo descobrir o que lhe foi dado. A graça provém do amor. É o próprio Deus que se dá ao ser humano como Salvador. E, por isso, merece a suprema gratidão, que se expressa na fé e no amor, com a peculiaridade de que podemos e devemos mostrar nossa gratidão a Deus.

Os que compreendem o favor inefável de Deus, mediante sua graça, devem deixar-se presentear por ela.

CONCLUSÃO

Deus se deu na criação, depois se deu na salvação, onde Ele próprio se mostrou ao mundo inteiro como dom. A história bíblica é graça, a autodoação incessante de Deus que culmina em Cristo. Deus fez isso para salvar a todos nós, sobretudo, para nos transformar no processo da redenção, de gente perdida a reclinada no seio de Abraão. Por isso, a graça deveria ser acolhida pela humanidade com a alegria de quem se vê escolhido sem méritos, com o júbilo pela maravilha do dom e com o humilde desejo de compreender à eleição gratuita.

E.A.G.

Compilações:
A Obra da Salvação. Jesus Cristo é o Caminho, a Verdade e a Vida; Claiton Ivan Pommerening; páginas 72 a 83; 2ª impressão 2017; Bangu/RJ (CPAD);
Ensinador Cristão; ano 18; número 72; página 39; 4º trimestre de 2017; Bangu/RJ (CPAD);
Lições Bíblicas / Professor. A Obra da Salvação - Jesus Cristo é o Caminho, a Verdade e a VidaClaiton Ivan Pommerening; 4º trimestre de 2017; páginas 47 a 54; Bangu/RJ (CPAD);
Maravilhosa GraçaPhilip Yancey; 2ª edição revista e ampliada; 5ª reimpressão 2012; páginas 10 e 11; São Paulo (Editora Vida).
Vocabulário Teológico para a América Latina, J.L. Idigoras, página 179, edição 1983, São Paulo (Edições Paulinas).

Projac - Incêndio de grande proporções consome estúdio da Rede Globo

O Jornal da Band acaba de informar, mostrando imagem de celular, a imagem dos estúdios da Rede Globo, no Rio de Janeiro, tomado por grande chamas.

"Um incêndio atinge neste momento um galpão da TV Globo, na zona oeste do Rio de Janeiro. Este vídeo registrado por um morador da região, mostra uma imensa nuvem de fumaça preta. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o fogo começou por volta das 6 e meia da noite. O galpão pertence ao Projac, o complexo de estúdios da TV Globo. Até o momento não há informações sobre feridos e nem sobre o que teria provocado as chamas".

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

CPAD lançará Bíblia de Estudo com comentários do Pastor Antonio Gilberto

No dia 1 de agosto deste ano, a Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD) assinou contrato com o Pastor Antonio Gilberto para a produção de uma Bíblia com comentários de seu consultor teológico.

Considerando a magnitude do projeto e detalhes de sua composição, a edição e finalização da obra ainda estão sendo discutidos a fim de que mais este lançamento não falte na estante dos estudiosos das Escrituras Sagradas. De acordo com o diretor-executivo da editora, Ronaldo Rodrigues de Souza, os comentários na Bíblia são frutos de anotações e outros materiais de autoria do célebre escritor, compilados desde 1952, quando iniciou a sua militância no ensino da Palavra de Deus.

"A Bíblia de Estudo do Pastor Antonio Gilberto traz em seu bojo os comentários de Lições Bíblicas, artigos extraídos dos periódicos da CPAD, esboços, apostilas de seminários de Escolas Bíblicas, Família e Liderança, ou seja, um farto material escrito ao longo de 65 anos de trajetória reconhecida na Assembleia de Deus", esclarece Ronaldo Rodrigues de Souza, diretor da CPAD.

A Rocha: Bíblia de Estudo de Josh MacDowell
Bíblia de Estudo com reflexões de Martinho Lutero
Bíblia de Estudo da Mulher
Bíblia de Estudo de Genebra - análise
Bíblia de Estudo: qual a melhor, tradicional ou pentecostal?
C. I. Scofield e a Bíblia de Referências para Estudo
O verdadeiro diferencial entre o som profano e sacro

Fonte: Mensageiro da Paz, ano 87, edição 1590, novembro de 2017, página 6, Bangu/RJ (CPAD).

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Existem evidências de vida após a morte?

Por Hank Hanegraaff
Tradução livre: Eliseu Antonio Gomes

"E não temais os que matam o corpo, mas não podem matar a alma; temei antes aquele que pode destruir tanto a alma como o corpo no inferno" - Mateus 10.28 (BKJ 1611).

Os ateus, - naturalistas filosóficos, inclusive muitos evolucionistas - afirmam que a morte é o término da existência do ser humano. Segundo este ponto de vista, a Humanidade é constituída tão-somente por corpo e cérebro. Apesar de rejeitarem as realidades metafísicas, como a alma, há motivos categóricos para crer que o homem tem um elemento imaterial de sua existência que extrapola o material, e desse modo possa seguir existindo após morrer.

O filósofo cristão J. P. Moreland avança neste assunto com sólidos argumentos sobre a existência da alma, a parte imaterial do ser humano que continua a existir além-túmulo.

Novos céus e nova terra
O arrebatamento da Igreja: esperança do salvo em Cristo
O destino final dos mortos
O inferno é somente uma metáfora para a sepultura?
O Juízo final
Quando acontecerá o fim do mundo?
Sete "ses"

domingo, 5 de novembro de 2017

Dez propostas para que o pregador convidado se saia bem na igreja que o convidou


1. O pregador não deve chegar à igreja quase no horário de pregar. Chegue antes para aproveitar a oportunidade de adorar a Deus reunido com aqueles que o recebem no templo.

2. Não fique ao telefone, não acesse mídias sociais durante o culto. Não converse com quem estiver ao seu lado. Tais atitudes são falta de reverência ao Senhor, falta de educação para com os irmãos presentes. Você é observado, isso é muito feio. Ser assim depõe contra sua imagem de líder evangélico, que precisa prestar bom exemplo de cristão.

3. Participe do culto orando e glorificando ao Senhor, não seja "espiritual" apenas quando estiver pregando.

4. Ao chegar à tribuna, não comprimente apenas o pastor da igreja, comprimente a todos que estiverem assentados nas poltronas sobre o altar. 

5. Não chame o pastor apenas de irmão, ou varão, ou vaso. O pastor tem nome e sobrenome. Se não consegue memorizar a identidade, escreva num papel o nome do pastor e da sua esposa também, pois ela também tem nome e sobrenome.

6. Se o som não estiver bem equalizado, fale com educação com o sonoplasta, ele também é filho de Deus e não é seu funcionário.

7. Não deixe a igreja de pé por muito tempo; existem pessoas que trabalham em pé durante toda a jornada do expediente de trabalho. Deus não quer o sacrifício de ninguém.

8. Não peça para que os irmãos olhem para quem estiver ao lado e lhe diga algo. Fazer esta solicitação é irritante demais, demonstra que você não tem conteúdo aprofundado para entregar uma mensagem da parte de Deus. Se está preso ao mal costume, ore mais para que o Senhor o use sem a necessidade do recurso de clichês.

9. Se sua mensagem não está fluindo conforme desejado por você, não critique os membros da igreja. Busque o Senhor pedindo inspiração ao seu ministério de conferencista.

10. Não passe o horário que lhe foi dado, se não lhe foi informado a duração de tempo, pergunte quantos minutos você tem para falar.

Autoria indefinida

E.A.G.

Dez-propostas-para-que-o-pregador-convidado-se-saia-bem-na-igreja-que-o-convidou 

sábado, 4 de novembro de 2017

Comer antes de dormir faz mal à saúde?


Você já notou que de uns tempos para cá estamos comendo cada vez mais tarde?  A cada dia que passa a qualidade da comida também não está boa. Muita gordura e frituras são posta no prato. Sabemos que a vida tem sido corrida e muitas vezes o que dá tempo de comer, são justamente essas comidas não saudáveis. Mas isso tem preocupado especialistas que dizem que comer à noite - especialmente quando a refeição é farta e realizada perto da hora de dormir - pode alterar o organismo e os processos digestivos.

Um estudo realizado com 700 alunos e apresentado em congresso da Sociedade Europeia de Cardiologia analisou a relação entre as horas nas quais se consome alimentos e os efeitos no organismo. A pesquisa constatou que ingerir alimentos tarde da noite gera um impacto significativo na pressão arterial.

12 sugestões para combater o estresse
A ilusória prosperidade dos ímpios
Conselhos para viver bem e melhor
Diabetes mal controlada aumenta riscos de problemas nos olhos e nos pés
Medicina confirma que a fé faz bem para a saúde
Os cinco benefícios da água
Você sabe o que é glaucoma?

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Quando é para acontecer, até quem tenta atrapalhar ajuda


Deus trabalhando nas suas causas:

"Se a nossa maneira de viver agrada a Deus, ele transforma os nossos inimigos em amigos" - Provérbios 16.7 (NTLH).

E.A.G.

Fidelidade



A fidelidade não é apenas o jeito como o esposo, satisfatoriamente, se dedica a sua esposa; e como ela trata bem ele, quando está perto. Mas, é muito mais que isso. A fidelidade define caráter. Ser fiel faz parte da estrutura ética.

Ser fiel é manter atitude de lealdade na ausência. Esta conduta  é coisa que vale em todo tipo de relacionamento. Todos esperam que haja modo de comportamento estável na convivência com amigos, com colegas de trabalho ou de escola. E quando próximo ou distante dessa gente.

É lastimável que muitos não entendam o que é o amor. Muitos confundem amor com as paixões amorosas, romanceadas em novelas e filmes, aqueles vínculos próprios dos adolescentes. E nessa confusão dão vazão à infidelidade amorosa, traem a criatura com quem se casou, e, em outras situações, quem nutre por elas a expectativa de amizade, ou camaradagem.

Antes de tudo o mais, nunca esqueçamos que Deus é amor.  Amor não é o mesmo que paixão. Deus não é um sentimento. Ele é amor porque ama a todos de uma tal maneira que sacrificou seu Filho único em favor de todos os pecadores. A Bíblia recomenda que imitemos a Deus e a Jesus.

E  na confusão do sentido sobre o que é amor, não é expressado que amar é ter a disposição de realizar o bem a todos, sem querer nada em troca. Fazer o bem desinteressadamente é amar. Que os casais se amem, que cada um de nós, como indivíduos casados e pessoas em relações interpessoais fora do casamento, sejamos fiéis uns aos outros.

Seja sincero. Tenha equilíbrio. Fale verdades na hora certa e para as pessoas certas. Fique pronto para viver as consequências. É vital que haja o mesmo comportamento na presença e na ausência. Quem se mostra amigável só por perto, precisa crescer como ser humano.

E.A.G.

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Os heroicos colportores

Por Luiz Antonio Giraldi

A palavra colportagem vem do francês "colporter", que significa "levar no pescoço". Ela surgiu na França, na Idade Média, para designar o trabalho do "colporteur" pessoa que ia de mercado em mercado, de casa em casa, oferecendo produtos que levavam em uma bolsa pendurada no pescoço. Com o passar dos anos, a palavra "colportor passou a ser usada na França para designar o trabalho das pessoas que vendiam livros de casa em casa. E, a partir de meados do século 12, passaram a ser chamados de colportores os seguidores de Pedro Valdo, ou valdenses, que visitavam as casas da cidade de Lyon, na França, oferecendo versículos escritos da Bíblia. Como não existia ainda a imprensa, eles copiavam à mão versículos da Bíblia e distribuíam aos moradores da cidade. Os valdenses foram os precursores dos colportores bíblicos dos séculos 19, 20 e 21.

Durante a segunda metade do século 19 e a primeira do século 20, a distribuição da Bíblia no Brasil foi feita basicamente por meio de colportores - evangelistas que viajavam por todo o País vendendo Bíblias e Novos Testamentos de casa em casa. Eles desbravaram os sertões do Brasil, levando os livros em lombo de mulas ou de carroças, e preparavam o caminho para a chegada dos primeiros missionários. Os colportores eram pessoas simples, mas tinham profundo conhecimento das Escrituras e estavam sempre prontos a correr riscos para levar a Palavra de Deus ao povo.

O missionário presbiteriano Edward Lane, pioneiro na distribuição da Bíblia no Estado de São Paulo, disse no final do século 19: "O colportor é o braço direito do missionário. A sua ajuda é indispensável para o trabalho do missionário".

Desde a sua fundação, em 1948, a Sociedade Bíblica do Brasil vem distribuindo as Escrituras por meio de colportores. De 1948 a 2015, sua distribuição de Bíblias completas saltou de 100 mil para 7 milhões de exemplares anuais, graças em grande parte, à atuação dos colportores. Em agosto de 2016, a Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) tinha em sua lista de clientes mais de mil colportores, que dedicavam tempo total ou parcial à distribuição da Bíblia. As pessoas que se credenciam a realizar esse trabalho são em geral seminaristas e evangelistas, que possuem algum preparo para a função. Eles são indicados por suas igrejas à SBB e recebem um desconto especial na compra de Escrituras, que os ajuda no sustento e na realização do trabalho.

No período de 1948 a 2015, a população evangélica no Brasil cresceu de 1,8 para 60 milhões de pessoas. E nesses 67 anos, as denominações evangélicas que mais cresceram no país foram a Assembleia de Deus e a Igreja *Adventista do Sétimo Dia, Justamente aquelas que mais usaram colportores em seu trabalho evangelístico.

_______

* Nota do Editor: A Apologia Cristã faz constar o nome da Igreja Adventista do Sétimo Dia como um movimento herético, pois esta ensina, entre outros coisas que não possuem base bíblica, que Jesus Cristo é o arcanjo Miguel.

Fonte: A Bíblia no Brasil, edição nº 255, maio a junho de 2017, página 42, Barueri/SP (SBB).
Luiz Antonio Giraldi é escritor, teólogo, filósofo e pós graduado em Administração de Empresas e Promoção de Distribuição e uso de Bíblia. Durante 21 anos, foi diretor executivo da Sociedade Bíblica do Brasil.

Governo Temer: Conta de luz sobe e salário mínimo desce


Mãe, a conta de luz chegou. Eu acho que o Governo está cobrando até pela luz do sol!

No Governo de Michel Temer - que é político do PMDB, lembre disso nas próximas eleições -, a conta de luz aumenta de preço e o poder aquisitivo do salário mínimo diminui.

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, em evento no Rio de Janeiro, na segunda-feira passada, 30 de outubro, admitiu que a conta de luz dos brasileiros poderá ficar ainda mais cara. E, porque parece que ao Governo desgraça pouca é bobagem, o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, anunciou a revisão do Orçamento de 2018 com a previsão de redução de R$ 4 no valor do salário mínimo para o próximo ano, que passa de R$ 969 para R$ 965.

E.A.G.

Eleições 2018 voto consciente


O ladrão comum rouba dinheiro, ouro e carros.

O político ladrão, rouba de você o futuro, a saúde, a educação, o lazer, a felicidade, o emprego. 

O primeiro ladrão escolhe você, mas o segundo ladrão é você quem o escolhe.

Pense nisso, antes de votar nas próximas eleições.

E.A.G.

Imagem: www.pensapositivo.pt

terça-feira, 31 de outubro de 2017

A vida de Martinho Lutero


No calabouço, condenado pelo Papa a ser queimado vivo, o reformador João Huss fez a seguinte afirmação: Podem matar o ganso (em seu idioma "huss" significa ganso), porém daqui a cem anos, Deus fará nascer um cisne que não serão capazes de queimar".

Após cento e dois anos de João Huss falecer na fogueira, o "cisne" pregou, na porta da Igreja em Wittenberg, as suas 95 Teses contra as indulgências, postura que causou o início da Reforma Protestante.

Infância e juventude

Martinho Lutero nasceu no dia 10 de novembro de 1483, em Eisleben, na Alemanha. Seguindo a tradição, foi batizado um dia depois. O batismo aconteceu na Igreja de São Pedro e São Paulo daquela cidade. O reformador recebeu o nome de Martinho por causa de Martinho de Tours, o santo lembrado naquele dia.

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Cristo em mim


Alphonsine Imaniraguha

Eu nasci e cresci em Ruanda, tinha cinco irmãos e os meus pais eram as pessoas mais incríveis. Meus pais eram muito religiosos e íamos à igreja regularmente. Nós líamos a Bíblia e orávamos juntos como família todas as noites. Fomos ensinados a amar e a tratar os outros como se fossem pessoas da família. Quando imaginava como seria o céu, eu visualizava a minha família fazendo fila diante de Deus e o meu pai apresentando a minha mãe e nós filhos a Ele. E então Deus nos daria um empurrãozinho deixando-nos entrar no céu. Eu jamais poderia imaginar que as coisas poderiam ocorrer de outra maneira.

Mas por volta das 8 horas da noite de 6 de abril de 1994, o avião presidencial foi abatido no desembarque em Kigali. Em poucos segundos, o genocídio de Ruanda começou. As estatísticas estimam que cerca de um milhão de pessoas foram massacradas em 100 dias, e este número incluía os meus pais e dois dos meus irmãos. Pela graça de Deus eu sobrevivi com meus três irmãos mais novos, que estavam todos com menos de 10 anos, e eu tinha apenas 13.

Ao mesmo tempo em que eu estava grato por estar vivo, meu mundo mudou para sempre. Logo percebi que as minhas asas imaginárias para o céu tinham sido quebradas e que precisaria descobrir  uma outra maneira para chegar lá. Tendo os meu anos de adolescência roubados, meu coração estava ferido e pesado. Tudo que eu almejava era conquistar algo para apagar a minha dor.

Certo dia, enquanto eu ainda estava na escola, ouvi alguém gritando a distância. Fui andando em direção ao som que ouvia, quando percebi que vinha de um pastor.

Ele estava afirmando aos que o ouviam que há Alguém que pode ser um pai para os órfãos e aliviar sua dor. Pensei que alguém tivesse lhe contado sobre mim. Ele convidou as pessoas que precisam de oração. Ajoelhei-me, soluçando, e pedi a Deus que se tornasse meu Pai celestial. Ele se tornou real para mim conforme lemos em Sua Palavra. O Senhor realmente andou comigo "através do fogo" e proveu por minhas necessidades e também as de meus irmãos.

"Não removas os marcos antigos, nem entres nos campos dos órfãos, porque o seu Vingador é forte e lhes pleiteará a causa contra ti - Provérbios 23.10, 11.

"Quando passares pelas águas, eu serei contigo; quando, pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti. Porque eu sou o SENHOR, teu Deus, o Santo de Israel, o teu Salvador; dei o Egito por teu resgate e a Etiópia e Sebá, por ti. Visto que foste precioso aos meus olhos, digno de honra, e eu te amei, darei homens por ti e os povos, pela tua vida" - Isaías 43.2-4.

Levei muito tempo para perdoar aqueles que nos feriram, e às vezes ainda sofro. Mas o que me impede de odiar é saber que eu também preciso de perdão. Se Deus pesasse os meus erros contra mim, eu teria vergonha. Todos nós precisamos de perdão, esperança e amor que vem de Deus - e que um dia fará nova todas as coisas.

E.A.G.

Fonte: Pão Diário, volume 20, página 372, 1ª edição 2017, Curitiba - PR (Ministério Pão Diário).

Alphonsine Imaniraguha é sobrevivente do genocídio ruandês de 1994 e fundadora do Ministério Rising Above the Storms (Subindo acima das tempestades). Ela possui um blog, Beauty for Ashes,  nele ela aborda a fé em Cristo e escreve sobre seu ministério, que visa socorrer crianças de Ruanda.

domingo, 29 de outubro de 2017

2 Coríntios 4.18 - Olhe ao invisível



"Portanto, não olhamos para aquilo que podemos ver atualmente, mas olhamos para aquilo que não se vê. Pois o que se pode ver dura apenas pouco tempo, mas o que não se vê durará eternamente" - 2 Coríntios 4.18 (NBV).

Nunca estamos sós

Se você se sentir sozinho, lembre-se que existem milhões de bactérias que vivem em nosso corpo. E para elas nosso corpo é o mundo.

Gracejo à parte, em tempo de solidão não devemos nos esquecer que Deus está sempre presente e pronto para cuidar de nós. Tanto no campo espiritual, como psicológico e físico. Procure um lugar em que não será incomodado, lá eleve seu espírito em oração ao Senhor, com o coração o mais sincero possível e peça-lhe que mostre o modo que poderá sair da aflição.

E, sobre bactérias, não existem apenas aquelas que são prejudiciais. Deus criou o mundo de maneira equilibrada, cabe a cada um usar o equilíbrio. Bactérias não provocam apenas doenças. Algumas espécies são capazes de causar transformações úteis em alimentos, tal característica é usada industrialmente, ou em ambiente doméstico, para a produção de queijo, requeijão, coalhada e iogurte. E, a vitamima K é sintetizada por bactérias, útil no combate de hemorragias.

E.A.G.

A vida de Billy Graham


O norte americano William Franklin Graham Jr, conhecido mundialmente como Billy Graham, nasceu no dia 7 de novembro de 1918 em uma fazenda leiteira na Carolina do Norte, na cidade de Charlotte. Cresceu durante a Depressão, aprendeu o valor do trabalho árduo na fazenda da família, lugar em que encontrou tempo para passar muitas horas debruçado sobre livros. No outono de 1934, aos 16 anos, Graham fez um compromisso pessoal com Cristo através do ministério de Mordecai Ham, um evangelista itinerante, que visitou sua cidade natal para uma série de reuniões de avivamento.

Em 1943, ele se formou no Wheaton College em Illinois e se casou com a estudante Ruth McCue Bell; esteve casado até 14 de junho de 2007, quando a esposa faleceu. O casal gerou dois filhos e três filhas, entre os quais Franklin Graham e Anne Graham Lotz são evangelistas. Billy e Ruth mantiveram moradia nas montanhas do oeste da Carolina do Norte.

A ilusória prosperidade dos ímpios
Billy Graham e a ante sala da apostasia
Billy Graham fazendo a diferença em uma época de crise
Billy Graham: 20 dicas para os casados
Comer antes de dormir faz mal a saúde?
Medicina confirma que a fé faz bem para a saúde



sábado, 28 de outubro de 2017

Caim, Balaão e Coré: exemplos do engano


A carta de Judas, no versículo 11, apresenta para nós três ações pecaminosas que arrastam crentes para atroz desmantelamento espiritual (Mateus 23.13-29). São atitudes próprias daqueles que abandonaram a fé genuína, mas continuam no meio cristão provocando escândalos. 

A reflexão sobre os exemplos negativos dessas personagens bíblicas é sempre importante, pois observar para não fazer igual é observação que edifica aos que cuidam permanecer em pé diante do Pai celeste. 

1. Egocentrismo. 

Caim foi egoísta, cheio de ódio e inveja. Tais sentimentos o transformaram em assassino do próprio irmão (Gênesis 4.3-4; Números 22.1-35; 1 João 3.12). 

2. Falta de domínio próprio. 

Balaão errou ao se deixar dominar pela cobiça e imoralidade (2 Pedro 2.15; Colossenses 3.5; Apocalipse 2.14). 

3. Rebeldia. 

A pessoa de Coré simboliza a insubordinação e a revolta contra toda organização constituída por Deus (Números 16.1-35; 3 João 9, 10). 

"Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida" - Provérbios 4.23 (ARA). 

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Casa desastre


Recebi a imagem através da mídia social. Esta "obra arquitetônica" é uma loucura por parte de quem construiu e uma loucura maior por parte de quem se propor a morar. Ninguém precisa ser um Oscar Niemeyer para saber que cairá.

Fotógrafo e local desconhecidos.

E.A.G.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Briga entre pessoas casadas

No início da relação matrimonial, tudo são flores. Com o tempo, o ninho do casal é lindo, quente, composto de móveis novos, bastante troca de afetividade. Mas, inevitavelmente, o peso da rotina chega e abafa a paixão, se encarrega de trazer boletos bancários, dívidas a pagar... Não é anormal que casais discutam, afinal, são dois seres pensantes, indivíduos que gozam da capacidade de raciocinar. Porém, a discussão não pode virar costume. Nestes momentos de choque de ideias, os exercícios de tolerância e de respeito é que provam se existe disposição em manter o amor aceso entre os dois. 

Ao invés de sustentar o pensamento de separação, o que se tem a fazer é buscar retomar o convívio em paz. Deve haver a reconciliação o mais rápido possível. Ninguém deve sustentar situações de malignidade no laço conjugal. O matrimônio deve permanecer levando-se em conta o texto bíblico: "até que a morte os separe" (Mateus 19.6).

Em momentos de conflito, que haja inteligência para rejeitar o sentimento de orgulho, que o marido despreze a filosofia machista e a esposa as coisas feministas. 

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Igreja é vocábulo de origem grega. Por que usar palavra grega à instituição de origem judaica?

Encontrei na mídia social um questionamento, que parece uma brincadeira zombeteira aos cristãos que possuem razoável conhecimento bíblico. Contudo, entendo que é uma pergunta pertinente aos que dão os primeiros passos de fé e possuem sede e fome de conhecimento sobre as Escrituras Sagradas. Assim, transporto a pergunta ao blog Belverede, como também a resposta que escrevi para a pessoa que a fez.

A pergunta:

Igreja, do grego εκκλησία (Ekkclesía). Essa palavra não existe no aramaico e nem no hebraico. Por acaso a Igreja é grega? 

A resposta:

Prezada Wilma R. B.

Com todo respeito, venho dizer que a Igreja foi, primeiramente, composta por judeus, gente de Israel. A primeira vez que o vocábulo "igreja" aparece no Novo Testamento, foi através da pronúncia de Jesus, registro disso em Mateus 16.18. Ora, Cristo não usou o idioma grego quando falava aos hebreus, se expressava no idioma de seus concidadãos. Então, é óbvio que usou o termo hebraico correspondente. Sugiro que analise isso lendo o contexto da referência bíblica que citei.

O fato de os Evangelhos terem sido escritos em grego não é motivo para suscitar a questão se a Igreja era ou não grega em período inicial. Ela começou por meio de gente cuja nacionalidade era israelita e em território de Israel. Aliás, o vocábulo grego "ekklesia" tem o sentido de "assembleia"; "chamados para fora", e tem tudo a ver com a decisão de os apóstolos usarem o idioma mais popular do mundo para a missão que tinham que desempenhar. Qual era a missão? Expandir a doutrina de Cristo pelo mundo, para fora de Israel, e se usassem o hebraico (fala desconhecida pelos estrangeiros) não obteriam o êxito que obtiveram.

Podemos dizer que o grego antigo é comparável com o inglês de hoje em dia. Portanto, passar à escrita todo o conteúdo do Novo Testamento em idioma grego, que era o idioma usado de maneira predominante no primeiro século da Era Cristã ao redor do mundo, em nada muda o fato de onde foi e ainda é o berço do cristianismo. 

Se eu ou você se perder na Japão, sem o domínio da língua-pátria daquele país, muito provavelmente encontraremos o socorro se falarmos em inglês com algum japonês. Contudo, usando o nosso idioma, será bem mais difícil nossa comunicação. Este foi o raciocínio dos apóstolos para que se usasse o idioma grego na redação do Novo Testamento, eles quiseram dizer o que deveria ser dito e serem plenamente entendidos com toda a facilidade possível.

Cordialmente,

E.A.G.

terça-feira, 24 de outubro de 2017

O pastor evangélico não trabalha?


"E dar-vos-ei pastores segundo o meu coração, os quais vos apascentarão com ciência e com inteligência" - Jeremias 3.15.

Se um Professor estuda, se prepara e dá uma aula de 45 minutos, ele está trabalhando. Mas se um Pastor estuda, se prepara e prega uma mensagem de 45 minutos, ele não trabalha.

Se um Psicólogo atende e aconselha pessoas, ele está trabalhando. Porém, se um Pastor atende e aconselha pessoas, ele não trabalha. 

Se um Administrador se organiza, faz reforma, contrata mão de obra, e gerencia uma empresa, ele está trabalhado. Entretanto, se um Pastor se organiza, faz reforma, contrata mão de obra e gerencia uma igreja, ele não trabalha.

Se um contador faz os cálculos, economiza, equilibra as finanças e faz investimentos, ele está trabalhando. Contudo, se um Pastor faz cálculos, economiza, equilibra as finanças e faz investimentos na igreja, ele não trabalha. 

Se qualquer um desses tirar férias, é justo, afinal, eles trabalham. Já um pastor não pode tirar férias, não deve receber salário, e não merece respeito. Afinal, ele não trabalha.

Vida de pastor.

Pastor é alvo das mais desencontradas opiniões: 

Caso o Pastor for ativo, dizem que é ambicioso. Se é calmo, falam que é preguiçoso.

No caso de o Pastor ser exigente, o acusam de ser intolerante. Se não exige, o imputam a conduta de líder displicente.

Na hipótese de o Pastor fazer visita, consideram pessoa incômoda. Se não visita, é irresponsável em seu cuidado com as ovelhas.

Se o Pastor é próximo em seu relacionamento com os jovens, é imaturo. Se sua proximidade é maior com os adultos, é descrito como antiquado e ultrapassado. Se fica com as crianças, é infantil.

Quando procura atualizar-se é mundano. Se não atualizar-se, é mente fechada.

Nas situações que o Pastor cuida muito bem da própria família, é descuidado com a Igreja. Se o Pastor tem sucesso no cuidado da Igreja, é visto como alguém descuidado com sua família.

Se prega pouco, é pregador que não tem mensagem. Se prega muito, é palestrante enfadonho. 

Se não tem boa oratória, é despreparado. Caso possua boa oratória, é exibido.

No momento em que procura agradar a todos, é sem personalidade. Nas ocasiões em que é positivo, e procura corrigir, dizem que é parcial.

Se o Pastor se veste bem, é vaidoso. Se se veste mal, é relaxado.

Quando sua característica pessoal é de alguém que sorri pouco, é antissocial. Se o Pastor ri, é irreverente. 

Se realiza programas novos, é porque só quer viver de promoções da sua imagem pública. Se não realiza, é pelo fato que não tem ideias.

Se o Pastor é alegre, dizem que é sem linha. Se chora no púlpito, é exageradamente sentimental.

Cada vez que o Pastor organiza trabalho coletivo, é explorador do rebanho. Se não organiza, é porque não pretende delegar responsabilidade ao rebanho.

Se o Pastor fala alto, é irritante. Se fala baixo, é um coitado que não tem voz ativa. 

Se o Pastor prega na rua, está desvalorizando o evangelho. Se só fica na igreja, é acomodado ao interior das quatro paredes.

Se o pastor está triste, já dizem que perdeu a fé. Se o pastor adoece, é porque está fraco e carnal.

Entenda o seu Pastor.

Ser Pastor é um tremendo desafio; pastorear é uma questão de chamada e de entrega, pois cabe ao Pastor ser o portador das Boas Novas.. Apesar disso, o Pastor é uma pessoa normal, gente que tem sentimentos como qualquer outra; é um ser humano que precisa das ovelhas, tanto quanto precisamos dele. Ele é carente de oração. Ore, apoie, valorize-o.  Ame e seja compreensível.

Autoria desconhecida (adaptado ao blog)

Extraído de Universidade da Bíblia. | www . facebook . com/ universidadedabiblia/

terça-feira, 10 de outubro de 2017

A Veja e os evangélicos - as críticas de Magno Malta e Edson Bruno contra a esquerda desesperada

Compartilho duas críticas inteligentes contra a matéria, publicada na revista Veja, descrevendo os evangélicos como gente incômoda.

Magno Malta:


Edson Bruno:


As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.