Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

sábado, 31 de dezembro de 2016

As pisaduras de Jesus Cristo



"Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados." Isaías 53.5.

"Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados" - Isaías 53.5.

Feliz Ano Novo / Quando o assunto é dinheiro


Ao chegar nesta época de final de ano, além da tradicional saudação "como vai você?", são manifestados os tradicionais votos de boas festas e o desejo de muitas felicidades, paz, saúde e prosperidade. A virada de ano traz o clima bom aos relacionamentos.

Quarteto Harmonia Celeste - Pelas Asas da Fé


O Quarteto Harmonia Celeste foi fundado em 25 de fevereiro de 1973, com as irmãs Eula Paula, Ivete, Itagira e Altair, que louvam com divisão vocal.

O curioso episódio inédito do Chaves que nunca foi imaginado, roteirizado e nem gravado por Roberto Gomez Bolaño e sua trupe de palhaços divertidos


Quando o sol saiu por detrás das nuvens espessas seu brilho aqueceu a alma de cada um e fez nascer a esperança a todos para tentar vencer outra vez.
Arte: Tiago José.
A suposta sinopse exageradamente sensacional.

O Chaves chutou a porta do condomínio porque estava trancada e chateado desabou a chorar de dor no pé e por ninguém o ouvir chamar.

A Chiquinha finge chorar porque tem vontade de comer churros e seu “paizinho” não tem dinheiro para comprar o doce.

O Kiko quer encontrar o carrinho de brinquedo esquecido atrás da cesta quadrada e cheia de chuchu na quitanda do outro lado da quadra.

Seu Madruga perdeu o sono e só foi dormir ao-meio-dia.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Salmos 135.3: Louve ao Senhor porque Ele é bom!

"Louvai ao Senhor, porque o Senhor é bom, cantai louvores ao seu nome, porque é agradável" - Salmos 135.3.

"Louvai ao Senhor, porque o Senhor é bom, cantai louvores ao seu nome, porque é agradável" - Salmos 135.3.

E.A.G.

Posto de Combustível Ipiranga, município de Caeiras (SP): preços altos



Stephanie Colbert: "Jesus loves you..."


"Jesus ama você! O restante dos Estados Unidos pensa que você é idiota" - Stephanie Colbert.

A pérola se consiste de uma frase típica da cultura de humor dos norte-americanos, apresentada no álbum de imagens da vocalista da banda Starship, publicada em seu perfil no Facebook. Algumas pessoas podem pensar que é dirigida a Donald Trump, presidente leito dos EUA. não deve ter sido escrita dirigindo-se ao magnata, prestes a mudar-se para a Casa Branca, porque foi expressada bem antes das eleições de 2016.

2017, a virada de ano está próxima


Ao raiar do novo ano, que nós possamos entender mais claramente que nem tudo que parece prejuízo de fato o é, algumas contrariedades são livramentos! Que, em 2017, não exista em nenhum de nós olhares de comparação, considerando que os outros progridem e nós ficamos para trás, pois Deus ama a todos de maneira igual, porém, eficientemente, trabalha em ritmo e estilo diferentes com cada vida, porque nós somos seres únicos e assim precisamos de tratamentos personalizados.

Então, prossigamos firmes crendo no amor de Cristo por nós. Não nos esqueçamos que por mais que as adversidades nos forcem a abaixar a cabeça, há um Deus eterno nos impulsionando a olhar para o alto e vencer tudo cuja origem não é a vontade dEle. Que o nosso coração acredite que tudo pode dar certo, e que esta certeza não seja apenas o simples otimismo, mas o otimismo acrescentado de fé e amor ao único Deus verdadeiro, o Deus que tudo pode e quer prover de bom para nós.

A crônica, logo abaixo, está postada para que, nestas últimas horas de 2016 possamos refletir um pouco mais sobre a nossa vida e a partir da reflexão consigamos entrar em 2017 valorizando um pouco mais tudo o que Deus nos tem dado, e com o coração agradecido aproveitemos melhor tudo o que recebemos.

Olavo Bilac foi abordado por um comerciante na rua:

 – Sr. Bilac, estou precisando vender o meu sítio. Será que poderia redigir o anúncio para o jornal?

Olavo Bilac escreveu:

"Vende-se encantadora propriedade, onde cantam os pássaros ao amanhecer no extenso arvoredo, cortada por cristalinas águas de um ribeirão. A casa é banhada pelo sol nascente, oferece a sombra tranquila das tardes, na varanda”.

Meses depois, encontra o poeta com o homem e pergunta-lhe:

- Vendeu o sítio?

- Nem penso mais nisso! Quando li o anúncio é que percebi a maravilha que eu tinha!

São muitas às vezes que não percebemos as coisas boas que temos conosco e vamos longe, atrás de miragens e falsos tesouros.

Valorize o que você tem:

• a vida;
• pessoa que está ao seu lado;
• a sua família;
• os amigos que estão perto de você;
• o trabalho que você conquistou;
• o conhecimento que adquiriu;
• a sua saúde;
• o sorriso.

Mantenha sempre o coração a pulsar agradecido, A gratidão transforma a deterioração em desenvolvimento e o fracasso em conquista. Confie na orientação de Deus para dirigir seus passos, Quando Deus toma a frente de uma vida, até o impossível acontece. Tudo pode mudar para melhor. O coração cansado recebe forças renovadas e surge a oportunidade de trocar o fardo das dificuldades por outro de facilidades, melhoria esta oferecida por Cristo. 

Enfim, não perca seu sono e a tranquilidade pensando em crise, pense em Cristo. Deus te ama.

E.A.G.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

A liderança da Deus é Amor tenta interferir nas relações íntimas dos casais membros da igreja?


Uma pessoa, que se identificou com as iniciais L.L. escreveu um e-mail com uma pergunta bastante peculiar, desconcertante mas que merece atenção, porque serve como quebra de boataria desmedida e muito prejudicial à cristandade como um todo.

Confira a pergunta e também a minha resposta.

12 de novembro de 2016 em 12h20.
"A paz do Senhor, Eliseu.
Eu li o seu site e vi que você conhece um pouco sobre a doutrina da Igreja Pentecostal Deus é Amor. 
Também sou evangélica, tenho uma curiosidade a respeito da doutrina desta denominação. Certa vez, disseram para mim que os membros da IPDA não podem tirar a roupa durante o ato sexual. Isso é verdade?
Perdoe-me pela pergunta, sei que é bem estranha e até vulgar, mas realmente gostaria de saber. Ficaria grata se pudesse me responder.
Que Deus o abençoe."
Minha resposta:

Olá, irmã L.L.

Em primeiro lugar, quero lhe dizer que não considero a sua pergunta vulgar, ao contrário, é pertinente e feita com polidez. Penso que você ousou perguntar motivada pelo seu amor a Deus e quer agradá-lo em todas as áreas da sua vida. Este propósito é algo muito bom. 

O Regulamento Interno da IPDA

Não conheço em profundidade a doutrina da Igreja Pentecostal Deus é Amor. Mas, possuo o Regulamento Interno (R.I) desta denominação, na versão mais recente, que foi doado por uma leitora do blog Belverede; ela congregava na igreja-sede e trabalhava lá em uma das áreas ligada à administração.

A liderança da IPDA, reproduzindo o ensinamento bíblico, orienta aos seus membros a não relacionarem-se sexualmente enquanto solteiro ou solteira e quando casados a não aceitarem relações sexuais com pessoas que não seja o cônjuge. Mas dentro do ambiente matrimonial, na intimidade a dois do casal entre as quatro paredes do dormitório, a denominação não se manifesta sobre usar ou não trajes. Tal declaração não passa de boato. Seria uma ação por demais ridícula se houvesse imposição desse tipo de regra sobre o leito conjugal de seus membros.

De acordo com o conteúdo do RI, posso dizer a você que a pessoa que disse que os membros da IPDA recebem instruções para não se despirem durante o coito estão redondamente enganadas sobre as orientações oficiais desta igreja.

Interpretações bíblicas equivocadas

Eu não posso afirmar com certeza, mas posso lhe dizer que talvez existam alguns pregadores dessa igreja que ousam dizer algo neste sentido em que você pergunta, porém, eles agem assim sem nenhum respaldo da doutrina oficial da IPDA. E, se alguém quer determinar como os casais, devidamente ligados em laço matrimonial, devem agir intimamente, o faz por excesso de zelo e por uma religiosidade doentia impulsionada por extrema falta de conhecimento das Escrituras Sagradas.

Pessoas que afirmam isso devem pensar que o sexo é algo pecaminoso e sujo, mesmo entre pessoas casadas e fiéis a Deus. Elas não entendem que quem criou os órgãos genitais, masculino e feminino, foi o próprio Deus; o mesmo Deus que criou a fêmea, Eva, para ser a companheira de todas as horas do macho chamado Adão; o mesmo Deus que disse “e serão os dois uma só carne”, aludindo à conjunção carnal entre homem e mulher.

Dignidade

É importante citar Hebreus 13.4 a, que diz o seguinte: “Honrado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula...” (ARA). Em grego, o idioma original no qual foi escrito o Novo Testamento, a palavra vertida como “leito” ao nosso idioma é o termo “sexo”. Este texto no livro Hebreus explica que o relacionamento entre marido e esposa é uma relação em santidade, portanto, é digno de honra. A parte b deste versículo, diz: “...pois aos devassos e adúlteros, Deus os julgará”. O contexto bíblico nos leva a entender que a devassidão tem a ver com as práticas sexuais com pessoas fora do casamento; e o adultério é exatamente isso. 

Um adendo sobre depilação

Também, preciso dizer sobre outra situação, que é levantada sobre os corpos femininos de membros da IPDA. No passado de algumas décadas atrás, alguns pregadores da IPAD afirmavam - espero que não haja algo parecido hoje -  que as mulheres desta igreja não deveriam se depilar, alegavam que a depilação era questão de vaidade pecaminosa. E algumas mulheres de fato não raspavam os pêlos de suas axilas e pernas, gerando horror e ojeriza em pessoas que não faziam parte do roll de membros desta igreja. 

Sobre esta questão, também não há uma norma interna específica da IPDA, as cristãs dessa igreja agem como pensam ser a melhor maneira de se dedicar ao Senhor. Minha opinião a respeito da depilação da mulher é que elas são livres para se depilarem. A verdade sobre esta questão é que não existe nenhuma orientação da Bíblia sobre isso, então elas podem raspar os pêlos de debaixo dos braços e de suas pernas e manter a consciência tranquila diante de Deus, porque não há pecado nesta prática. Habitamos em um país de clima tropical, o que nos faz olhar para esta situação como um modo de manter o corpo asseado. E, voltando ao tema anterior, quando uma esposa se mantém limpa para seu marido, ela está honrando o seu casamento.

Enfim, sugiro que faça uso das tags (marcas) que eu criei neste blog. Tags / marcas são as palavras que ligam os artigos por assuntos específicos. Para isso, basta a você digitar “casamento” na caixa de pesquisa, que está localizada na parte superior deste blog, ou clicar nas palavras “casamento” e “sexualidade”, que estão localizadas na parte inferior do blog, na seção “Assuntos Abordados em Belverede”. 

E.A.G.

Conselho para quem mudou de igreja e está afastado da comunhão com os irmãos e do pão e do vinho na celebração da Santa Ceia do Senhor

Não podemos jamais esquecer que a Igreja de Cristo tem duas características, ou dimensões: universal e local. O aspecto universal é apresentado por Jesus em Mateus 16.18. Sobre esta, Jesus nos mostra que a Igreja é constituída por todos aqueles que nasceram do Espírito e são batizados no Corpo de Cristo (1 Coríntios 10.2; 12.13). Ela é invisível ao olho humano, pois está no plano espiritual. A soma de todas as igrejas locais ao redor do mundo forma a Igreja universal, através de quem está sinceramente convertido ao Senhor. Sobre esta igreja, construída por almas que se renderam aos pés de Cristo, a Bíblia Sagrada revela que Jesus é o cabeça (Efésios 1.22; 5.23).

Há algum tempo atrás, recebi através da Caixa de Contato do Belverede o e-mail de uma pessoa se identificando como Katia. Sua redação está muito levemente modificada nesta postagem, sem nenhuma adulteração da mensagem. O objetivo da modificação visa expor o texto em combinação mais aproximada ao estilo do Belverede. Ela escreveu para mim algo assim:

Mateus 18.19 - Resposta ao leitor de Belverede sobre a oração da concordância e a prática de coleta de dízimos entre os cristãos evangélicos


Mateus 18.19: Resposta ao leitor de Belverede sobre a oração da concordância e a prática do dízimo entre cristãos evangélicos
Recebi, por meio da Caixa de Contato deste blog a pergunta de um leitor de Belverede. Considero o questionamento importante e, portanto, salvaguardando a identidade do autor, trago ao público o conteúdo, com o desejo de que indagação e retorno possam gerar edificação aos que encontrarem esta postagem.

Título do e-mail: Texto sem contexto. 
Wellington F. | 17 de novembro de 2016
"Olá, graça e paz!
Sou de Pernambuco, membro da Igreja Assembleia de Deus.
O que me traz aqui é o seguinte: estava lendo um artigo seu na internet que fala a respeito de Mateus 18. Meu pastor, quando fala de dízimo, explica porquê é cobrado e quando era cobrado, até aí tudo bem, concordo. Mas o que ele argumenta para que seja cobrado nos dias atuais é que "Se duas pessoas concordarem a respeito de algo, será feito por Deus.
O que ele fala é fora de contexto ou pode se aplicar ao caso concreto?
Obrigado!"
Resposta:

"Olá.

Sem dúvida, a Oração da Concordância é uma ferramenta poderosa, colocada por Deus ao alcance de todos os cristãos. A eficácia da oração em companhia de outros, quando aqueles que oram estão em pleno acordo e também estão em acordo com a doutrina de cristã quanto à petição, emana da comunhão fraternal. Unidade esta que o Espírito Santo também apresenta em Salmos 133, versículos 1 ao 3:

 “Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos! É como o óleo precioso sobre a cabeça, o qual desce para a barba, a barba de Arão, e desce para a gola de suas vestes. É como o orvalho do Hermom, que desce sobre os montes de Sião. Ali, ordena o Senhor a sua bênção e a vida para sempre.” (ARA).

A prática de coleta de dízimos entre os cristãos não está proibida nas Escrituras neotestamentárias, Portanto, acredito que há liberdade para o crente em Cristo entregar suas ofertas nesta modalidade de contribuição percentual.

Logicamente, quando o cristão dizimista contribui com os dez por cento de seu salário, esta entrega deve ser realizada com cem por cento de voluntariedade. Se houver pressão de terceiros, entendo que a situação é apenas uma ação religiosa, estritamente carnal e em conflito com a vontade de Deus."

Indo mais além na resposta enviada  ao Wellington, escrevo o seguinte:

1. Sobre este assunto da contribuição financeiras às igrejas, convém meditar em Zacarias 4.6 e Romanos 14.22.

2. Todas as pessoas que negam-se à contribuir, precisam examinar o próprio coração, pois a Palavra de Deus não apóia motivações de avareza (1 Coríntios 6.10).

E.A.G.

Postagem paralela:
Mateus 18.18-19 - bastam apenas que dois concordem na terra para ser feito por Deus no céu? .

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

A primeira lição da Escola Bíblica Dominical (CPAD) em 2017



Há algum tempo, já estão disponíveis aqui no blog Belverede duas publicações, criadas e oferecidas com a finalidade de contribuir com a Escola Bíblica Dominical. São aportes referentes à primeira lição de 2017, apresentada na revista Lições Bíblicas para adultos.

  

E.A.G.

sábado, 24 de dezembro de 2016

Feliz Natal!

Bom Natal! Que seja de paz, amor, harmonia, esperança, reconciliação e muita fé. Que a luz do Menino  Jesus ilumine nossos dias.


Bom Natal! 

Mais do que um evento marcado para encontro de familiares e amigos, mais do que uma data para trocar presentes e sentar-se à mesa para uma ceia especial, que seja o momento de lembrar e celebrar o nascimento do Filho de Deus. 

Que seja momento de paz; a paz de Cristo. Que seja noite de amor; amor que palpite no próximo ano, em todos os 365 dias. Que seja tempo harmonia; harmonia que repercuta em todos os relacionamentos das nossas vidas. Que seja uma data geradora de esperança; a esperança edificante para todos nós. Que haja reconciliação e muita fé; pois reconciliar-se e ter fé em Cristo são elementos necessários para agradar a Deus.

Que a nossa Árvore de Natal seja erigida com as conquistas de saúde, paz, fé, amor, união, sinceridade, esperança, amizade, solidariedade, paciência, perdão, coragem, gentileza, alegria e bom humor.

E que a luz do Menino Jesus ilumine nossos dias, hoje, amanhã, sempre.

E.A.G.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

A fidelidade de Deus

Por Eliseu Antonio Gomes

Introdução

Qual cristão no meio de nós não atravessou por algum momento extremamente difícil na vida? Se não for crise de natureza particular, no mínimo é uma situação geral. O Brasil passa um período de recessão econômica, os estados federativos estão em profundo aperto financeiro, as prefeituras não têm como assegurar a assistência essencial aos cidadãos brasileiros. As pessoas que compõem o poder nos sistemas políticos municipais, estaduais e federal não conseguem honrar seus compromissos. A população sofre muito com as faltas de Educação, Saúde e Segurança.

Perante este quadro caótico, não nos esqueçamos: Deus almeja que todos os cristãos vençam as crises; em Jesus Cristo podemos superar todas as agruras, e andar de triunfo em triunfo.

I. A fidelidade de Paulo em meio às crises.

O apóstolo Paulo foi fiel a Deus em tempos de tranquilidade e também em momentos perturbadores. Quatro das suas epístolas - Filemon, Colossenses, Efésios e Filipenses - foram escritas na prisão.

1. Destemor e ousadia.

Nosso modelo de vida é Jesus. Ele abriu mão de sua glória celestial para habitar entre os pecadores, para servi-los o plano da salvação. Devemos viver uma vida de serviço de maneira abnegada,independente da espécie de conjunção ao nosso redor, como Cristo viveu. 

2. Alegria em meio ás crises.

Aparentemente, a Carta de Paulo aos crentes de Filipos é paradoxal; pois foi escrita enquanto o apóstolo era prisioneiro de Roma, por volta dos anos 62 e 63 d.C., quando estava cercado pela guarda pretoriana e aguardando ser chamado pelo imperador para depor sobre suas atividades. Apesar disso, a redação é marcada por um tom de alegria contagiante. É um exemplo vivo do Evangelho que proporciona o contentamento que supera as tribulações.

Precisamos manter uma atitude positiva diante da vida. O crente tem todas as razões do mundo para ser feliz.  É filho do Deus Todo Poderoso que é capaz de suprir todas as suas necessidades. Os acontecimentos devem ser vistos como oportunidades de crescimento, pois Deus cuida de seus filhos e não os abandona jamais.

3. Servindo a Deus em meio às crises.

Há limites para a ansiedade humana. A ansiedade impede que vejamos as coisas como elas realmente são. A ansiedade amplifica a dimensão dos problemas. Ela não é a solução. Devemos colocar diante de Deus toda a nossa ansiedade e confiar em sua provisão de graça e poder.

"Permaneçam firmes" - esta é uma das expressões usada por Paulo na Carta aos Filipenses.. Ele estava apto a recomendar firmeza, pois estava pronto para enfrentar experiências duras até o fim. Embora não quisesse morrer, pois sentia que havia muito trabalho a ser feito e queria fazê-lo, estava completamente preparado para a morte,

II. Abnegação ante o sofrimento.

Paulo foi altruísta diante do sofrimento, foi capaz de continuar a pensar no bem-estar do próximo mesmo padecendo. Quando a situação fica difícil, o crente fiel permanece vigilante, para que o sentimento individualista não o transforme em pessoa egocentrada, desumana, egoísta, interesseira e insensível às necessidades do outro.

1. A disposição de Paulo em sofrer pelos cristãos filipinos (Filipenses 2.17-18).

A salvação é vista como algo a ser desenvolvido na vida do crente. Então, Paulo suplica aos filipenses para permanecerem firmes e servirem uns aos outros imitando o exemplo de Cristo. Para que continuem animados na fé, cita um hino da Igreja Primitiva que fala como Jesus se tornou um escravo para servir os outros e, assim, foi exaltado acima de todos.  

Os cristãos devem viver sem contenda e de maneira irrepreensível. Paulo, demonstra não se importar em ser sacrificado, desde que o seu sacrifício sirva para edificar os crentes em sua fé.

A paz de Deus é positiva. O conceito de paz que o mundo é negativo. Depende da ausência de algo ruim. A paz de Deus é positiva. Depende somente da presença dEle na vida do crente. Está acima das circunstâncias.

2. A disposição de Epafrodito (Filipenses 2.25-30).

Epafrodito ("amável", em grego) era um leal companheiro de Paulo, atuante ministro do Evangelho entre os laodicences e colossenses. Epafras era a forma abreviada deste nome. Esteve preso junto com a apóstolo (Colossenses 1.7; 4.12-13; Filemon 23).

Epafrodito foi enviado pela igreja de Filipos como mensageiro, levou ofertas até Paulo em Roma, a fim de sustentá-lo enquanto estava na prisão e, acometido gravemente por uma enfermidade, deixando os irmãos filipenses preocupados com seu bem-estar. Aparentemente, na ocasião em que enviou o socorro ao apóstolo, deve ter chegado à beira da morte. Paulo intercedeu em seu favor (Filipenses 2.25, 30; 4.18).

Então  o apóstolo redige sua carta, afetuosamente, mostrando sua gratidão, e também para encorajá-los e alertá-los contra possíveis armadilhas existentes na trajetória da fé cristã, lembrando-lhes que a vida do cristão é como uma corrida e o crente é como um corredor, que deve esperar pelo prêmio ao  cruzar a linha final do percurso.

3. Paulo e os judaizantes (Filipenses 3.1-8).

A liturgia da Igreja de Cristo é diferente da liturgia da religião judaica. Os cultos que os evangélicos prestam a Deus têm por base a morte vicária de Cristo na cruz e a sua ressurreição.

Naqueles dias em que Paulo estava preso, a Igreja Primitiva era invadida por heresias trazidas por falsos pregadores de Cristo, que introduziam ideias gnosticistas no culto evangélico. Além disso, os judeus que se diziam convertidos a Cristo, apegados às regras do judaísmo, tentavam doutrinar os cristãos gentios, insistiam para eles adotassem os costumes dos judeus, como a circuncisão, a guarda do sábado e a dieta de alguns alimentos, afirmando que as pessoas que não adotassem esses ritos não seriam salvos por Cristo.

III. Aprendendo a vencer as crises.

1. A situação complicada da falta de firmeza espiritual (Filipenses 4.1).

Ao terminar a carta, Paulo apresenta três evidências para que os crentes permaneçam firmes:
a. A paz de Deus (4.1-9). Uma paz que não é a ausência de algo ruim, mas que se fundamenta na presença de Alguém extremamente bom, o próprio Jesus Cristo na vida do crente.
b. O poder de Deus (4.10-13). Poder que dá força para a jornada cristã não obstante as circunstâncias.
c. A provisão de Deus (4.14-23). Paulo reconhece que a dádiva dos crentes de Filipos é uma evidência do cuidado de Deus por ele. 
2. A crise da desarmonia (Filipenses 4.2,3).

Devemos preservar a comunhão na vida da igreja, usar a humildade em nossos relacionamentos. Se procurarmos o bem-estar do próximo, questões pessoais de ponto de vista são colocados em segundo plano em função do bem comum. Se tivermos a mesma atitude de Jesus, vamos ser mais cooperativos em nossa atitude e vivência.

O amor une. O egoísmo separa. A autêntica vida cristã não é vegetativa. Que diferença você faz na vida das pessoas? É preciso ter uma vida significativa, agregar valor à vida dos outros.

3. Vencendo as crises.

O nosso desafio hoje é aprendermos a enfrentar os problemas sem perder a paz e o ânimo. Com a mente voltada às coisas espirituais e com a disposição de não perder a paz e nem o discernimento, somos convidados a viver a vida abundante em Cristo a fim de superar toda e qualquer conjuntura desfavorável que tente nos abater.

Um bom início à corrida rumo ao êxito é obedecer ao ensino de Jesus em João 16 e ampliando essa reflexão  à Carta aos Efésios, quando Paulo escreve: "E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais, dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo" (5.18-20). A expressão "não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução" representa tudo que do ponto de vista humano e material significa confusão, briga e falta de sobriedade e discernimento da realidade em que vivemos. 

Conclusão.

Diversos personagens bíblicos enfrentaram entraves. O abandono, a cova, a prisão, as intempéries deste mundo. Mas eles reagiram da melhor maneira possível .É assim que devemos reagir, expressando atitudes de fé e coragem mediante ás adversidades.

A alegria de Paulo diante das crises era resultado da sua comunhão com Deus. Ele aprendeu com o Senhor a se contentar em todas as circunstâncias. Nós, cristãos, precisamos seguir seu exemplo, aprender a fazer uso da paz que Cristo nos deu.

A provisão de Deus é de acordo com a sua riqueza em glória e é capaz de suprir cada uma das necessidades de cada crente seja qual for a circunstância que estiver atravessando. Deus tem cuidado de nós!

E.A.G.

Compilações:
A Bíblia de Maneira Simples, Nick Page, página 96 e 97, 1ª edição 2014, Barueri/SP (SBB).
Ensinador Cristão, ano 17, nº 68, outubro - dezembro de 2016, página 42, Rio de Janeiro (CPAD).
O Deus de Toda Provisão - Esperança e sabedoria divina para a Igreja em meio às crises, Elienai Cabral, páginas 147, 155, 1ª edição 2016, Bangu, Rio de Janeiro (CPAD). 
Pequena Enciclopédia Bíblica Orlando Boyer 30ª impressão 2012, página 195, Rio de Janeiro (CPAD).
Toda a Bíblia em um Ano - Mateus a Filipenses, Darci Dusilek, volume 3, páginas 70-71, 9ª edição 2013, Rio de Janeiro (Horizontal Editora).

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Qual o sentido do Natal?


Por George R. Foster

A brincadeira é velha mas nunca deixa de ter suspense. Ganhamos um presente numa caixa grande, embrulhada em papel vistoso. Quando a abrimos, porém, descobrimos que dentro dela há outra caixa, que depois de aberta também contém outra caixa menor e assim por diante. Nossa expectativa vai só aumentando à medida que o tamanho das caixas diminui. E quando chegamos à última caixa, ficamos certos de que o presente, embora pequeno, deve ser algo de grande valor. Contudo, se ao abri-la constatarmos que também está vazia, temos uma enorme decepção. 

O Natal pode ser assim

Geralmente cultivamos um grande senso de expectativa em torno do Natal, mas no fim encontramos pouca satisfação naquilo que compõe a festa natalina: as músicas, a decoração típica, a ceia e as ias às compras. E quando tudo termina, nos sentimos tão vazios quanto nosso bolso. Desmontamos a "árvore", guardamos os enfeites e recolocamos a casa em ordem. Fazemos o propósito de daí por diante comer menos, praticar um pouco de exercício e realizar uma comemoração diferente no ano que vem. Então quando a vida volta à sua rotina, nos entregamos aos afazeres e nos esquecemos de perguntar...

Afinal, qual o sentido disso tudo?

O Natal é a festa da família. É a época em que familiares se reúnem. E tem muito a ver também com tradição. Todos observamos alguns rituais, praticamos rotineiras; seguimos um ritmo, um tipo qualquer de comemoração.

Outro aspecto do Natal é presentear ou trocar presentes. Há ainda os pratos típicos da festa, que por vezes comemos com uma pitada de remorso ao lembrar daqueles que passam fome. E o que vamos fazer com os presentes de que não precisávamos e talvez nem quiséssemos? É claro que não desejamos ofender ninguém! Afinal, eles tinham mesmo de nos dar alguma coisa!

Por favor, não me entendam mal. Não sou daqueles que abominam o Natal. Gosto dessa época do ano, com suas luzinhas coloridas, os belos cânticos, a comida, e - o que é melhor - a presença dos familiares e amigos. Sinto um nó na garganta quando vejo as crianças abrindo seus presentes, ou as ouço cantar "Noite Feliz".

Ademais também não me esqueço de Jesus. Leio a história do seu nascimento, grato pela generosidade de Deus que nos deu essa dádiva tão valiosa: seu Filho Jesus. Sempre me encanto com o mistério da encarnação divina. Ainda fico extasiado com o fato de que o Deus eterno se tornou homem, embora por um curto período de tempo. Vejo a manjedoura mas logo em seguida a cruz, com sua importância para a redenção humana. É, Cristo está presente em meu Natal. Contudo, passadas as festas, me pergunto: Será que tudo isso era da vontade dEle?

Ainda há tempo para planejar algo diferente

Então o que devo esperar? O que devo far? Para começar, ter a convicção de que a "caixa" do Natal não está vazia. Quando chego á última, dentro dela há, sim, algo de grande valor. É Jesus. Depois que o recebemos no coração e deixamos que cresça, não encontramos no mundo uma caixa capaz de contê-lo.

É o reino de Deus

Ele cresce em nosso interior até ocupar todo o nosso ser. Expande-se exteriormente até que todos os reinos deste mundo passem a ser do Senhor e do seu Cristo. E se quisermos que Ele conquiste mais espaço neste mundo, precisamos deixar que tenha mais controle em nossa vida.

Assim como o primeiro Natal ocorreu num lugar humilde, os elementos que mais lhe conferem significado hoje também podem parecer simples e sem importância. Pode ser um telefonema para um missionário num país distante. Distribuir roupas., alimentos, brinquedos para os pobres. Convidar para a nossa ceia um parente que vive sozinho. Tomar a decisão em família de abrir mão de alguns presentes para dar algo aos necessitados.

O Natal só tem sentido se decidirmos o modo como vamos celebrá-lo, se pensarmos nos valores do reino de Deus; se demonstrarmos, de forma prática, que Cristo veio ao mundo para nós e para todos.

Feliz Natal para você e para aqueles cuja felicidade talvez dependa de você.

Fonte: Mensagem da Cruz, ano 30, nº 111, página 19, janeiro - fevereiro 1997, Venda Nova/MG (Editora Betânia).

domingo, 18 de dezembro de 2016

O tempo muda tudo?

O tempo muda tudo ou nós mudamos tudo ao longo do passar do tempo? Acredito na segunda opção, o ser humano é o principal agente da transformação, transforma com a permissão de Deus.

Fazemos amizades, nos afastamos de amizades, crescemos, amadurecemos ou continua,os eternas crianças grandes, elaboramos o raciocínio ou apenas a emoção, optamos por estabelecer relacionamentos amorosos com A ou B. Interagimos e na interatividade criamos o progresso ou regresso pessoal e de outros. Somos responsáveis pela a alegria e tristeza de tantos... Conhecemos fracassos, sucessos. Sonhamos, experimentamos desilusões.

Ao olhar esta charge, abaixo, percebemos como tudo realmente muda:

• Em desespero, em 20 de janeiro de 2017, Barack Obama dará lugar ao ex-apresentador de O Aprendiz, Donald Trump;
• Hillary Clinton fracassou outra vez em sua tentativa de ser presidente dos Estados Unidos e declarou que gostaria de viver o resto de seus dias dentro de sua residência, acompanhada somente de seus cachorros.
• O ex-sindicalista Lula não preside mais nada e está prestes a se transformar no presidiário mais famoso da América Latina;
• Dilma Rousseff, cujo currículo aponta ser uma economista, como presidente do Brasil afundou o Brasil, levando-o à crise econômica mais complicada do País. Como consequência, foi impedida de governar em processo do parlamento brasileiro. Afastada, e muito bem remunerada com nossos impostos para não fazer nada pelo resto de sua vida, dia após está afundando num poço de ostracismo.

Aquilo que era ontem já não é mais nada agora. Quais mudanças teremos 2017? Por enquanto, só Deus sabe.
 .

O impulso consumista na época do Natal


Por Amanda Pieranti

Quando o fim de ano chega e, á medida que se aproxima o Natal, o período torna-se mais propício às compras. Para os consumidores compulsivos, esta é apenas mais uma oportunidade para gastar dinheiro, já que eles têm o mesmo hábito o ano inteiro. Porém, especialistas alertam que, em qualquer época, é preciso fugir do consumismo excessivo. E, em tempos de crise, o cuidado com o bolso deve ser ainda maior.

Segundo a psicanalista Márcia Tolotti, é preciso distinguir consumo e consumismo: "Consumir (bens e serviços, que suprem necessidades básicas como morar, comer e vestir) é saudável, necessário e prazeroso. Já o consumismo é excessivo e escravizante", alerta.

São vários os nomes que tentam explicar o fenômeno do consumismo, dentre eles, oneomania (transtorno compulsivo) e normose (obsessão por compra). 

"O importante é detectar a falta de limite nas compras. Os sinais nem sempre aparecem logo. Muitos escondem os produtos adquiridos, até por sentirem culpa pelo excesso, mas não conseguem se controlar. Já outros não podem ver uma liquidação, que logo entram e liquidam com o bolso o próprio bolso", salienta Márcia.

Dica

A psicanalista aconselha, antes da compra, que o consumidor faça a si mesmo a seguinte pergunta: o que significa, para mim, ter este produto? Quero por necessidade ou por vaidade?

Cuidados necessários ao ir às compras:

• Pesquise preços;
• Não parcele o pagamento do cartão de crédito;
• Não faça financiamentos longos;
• Saiba qual é a porcentagem que está pagando de juros;
• Calcule quantas horas precisá trabalhar para pagar o produto.

Ciladas do consumo

Ainda, segundo a doutora, as linhas de crédito fácil e elástico, sem a noção real do que se paga, e o marketing sem escrúpulo, que cria a ilusão de que tudo é necessário para sermos felizes, são algumas das armadilhas do consumo a que estamos sujeitos. "Mas a maior delas é não conseguirmos tolerar nenhuma frustração e darmos um passo maior do que a perna. Psiquicamente, é difícil aguentar a frustração e assim, vivemos a "urgência do desejo": todos querem tudo, e já! A tristeza, a angústia, a baixa autoestima e a culpa são outras grandes ciladas", explica.

De acordo com a psicanalista, a pessoa, para sair desse transtorno compulsivo, precisa admitir que possui problema e que está perdendo dinheiro. "A partir daí, é necessário buscar orientação por meio de livros, palestras, educar-se financeiramente.

O segundo passo é cuidar do lado emocional. O que a pessoa está buscando quando compra o que não precisa e gasta o que não pode? O que está tentando resolver? É alguma compensação? Alguma perturbação? Com certeza, em nenhuma loja encontrará a resposta. A solução está dentro dela, e também na caminhada familiar, profissional, espiritual e social", conclui.

Conclusão.

Enfim, diversos especialistas alertam: quem não tem limite para comprar precisa buscar ajuda.

Fixe-se no objetivo de melhorar a sua qualidade de vida, longe das aquisições de produtos supérfluos. Queira investir em seu conhecimento, seu trabalho, sua família, e principalmente, em sua espiritualidade.

Fonte: Jornal Show da Fé, coluna Comportamento, página 5, dezembro de 2008 (Graça Artes Gráficas e Editora Ltda). Título original: A Doença do Consumismo. Publicação adaptada ao blog.
O-impulso-consumista-na-epoca-de-Natal-a-doenca-do-consumismo-amanda-pieranti

Silas Malafaia e a condução coercitiva que nunca aconteceu



Na manhã de 16 de dezembro, a sexta-feira passada, a Polícia Federal recebeu autorização para deter o Pastor Silas Malafaia e levá-lo em condução coercitiva à sede carioca da PF, para prestar esclarecimento sobre o envolvimento de seu nome no caso de esquema de corrupção - recolhimento irregular de royalties de mineração - porque uma pessoa, supostamente ligada ao ato ilícito, doou cem mil reais usando um cheque, e suspeita-se que o dinheiro tenha origem no crime investigado.

Porém, a ordem judicial para a realização da condução coercitiva de Malafaia, expedida pelo juiz Ricardo Augusto Soares Leite, que trabalha na 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília, não foi realizada. Quando o pastor foi procurado por policiais em sua residência no Rio de Janeiro, não foi encontrado lá, porque estava em São Paulo, cuidando de um novo templo, inaugurado no bairro do Brás uma semana antes. Embora a mobilização policial, nomeada como Operação Timóteo, fosse gigante - 300 agentes trabalhando em ação concomitante em 11 estados- não havia nenhum aparato montado agindo no estado paulista.

Mas, diversos órgãos da impressa brasileira não relataram este detalhe. A maior parte de jornalistas, talvez no afã de reportar o fato, informaram este fato de maneira distorcida. É compreensível passar a notícia pela metade quando o relatório é transmitido ao público durante o andamento do assunto que é noticiado. Devido ao calor do momento, os dados vão chegando e o profissional vai atualizando cada detalhe confirmado, paulatinamente. O público entende isso. Mas, após o fato já ser um fato consumado, transmitir o relato incompleto se configura em ponto negativo ao exercício profissional do repórter. 

Malafaia é uma figura pública cujo passado está marcado por posições firmes contra o PL 122/2006 (o projeto de lei que tentava dar direitos aos homossexuais acima dos direitos dos héteros, mas não transformou-se em lei) e contra o aborto. Então, uma parcela muito grande da sociedade, que está no outro extremo das posições do pastor, ao receber a notícia dada de maneira distorcida, comemorava a condução de Malafaia por policiais, a condução que nunca aconteceu!

Veja bem, qual é a definição do termo "repórter": aquele que reporta o acontecimento; o profissional de imprensa que transmite um fato. Se esta pessoa não conta tudo, se ela distorce o que acontece, posso considerá-lo um repórter cuja carreira não possua nada que o desabone?

Observando este episódio, da comemoração da condução que não ocorreu, fiquei pensando na hipótese de um evento esportivo de futebol, um embate clássico, em que pelo rádio o narrador grita "gooooool", sem que a bola tenha entrado para dentro da trave, sem que o gol tenha ocorrido. Foi mais ou menos isso que as  reportagens fizeram contra aqueles que desejam o mal do pastor, repórteres deram a essa gente a chance de comemorar sem qualquer motivo de comemoração.

Existe ponto positivo neste episódio. Os principais órgãos de imprensa deram oportunidade ao pastor expor-se e contar seu lado da história. Os mais importantes canais da televisão brasileira, portais de internet e agências de rádio participaram de duas entrevistas coletivas que o pastor concedeu antes e após prestar depoimento na sede da PF, situada no bairro da Lapa/SP.

E.A.G.

sábado, 17 de dezembro de 2016

Quando acontecerá o fim do mundo?



Por Antonio Mardonio

Quando será o fim do mundo? Esta pergunta tem angustiado o ser humano desde o tempo mais remoto da humanidade na face da Terra. Por isso os adivinhos, os agoureiros, os astrólogos, os magos, os místicos, os prognosticadores, erc, têm ganhado muito dinheiro e prestígio neste campo tão fértil que é a crendice popular dos ingênuos e ignorantes.

Muitas datas foram marcadas para a concretização de tal acontecimento e todas se constituíram em grandes futilidades, o que geraram profundas decepções nos que acreditaram em tamanhas farsas arquitetadas em benefício dos que tiram proveito das superstições humanas, por não conhecerem os desígnios da Palavra de Deus.

Na passagem do primeiro para o segundo milênio muitos declararam com veemência a respeito do fim do mundo, fato que levou diversos a vender suas propriedades e fugir para locais onde estivessem abrigados e protegidos das consequências provenientes da catástrofe de tamanha envergadura. Nada aconteceu de anormal e a vida continuou da forma de sempre. O mesmo aconteceu quando passamos do segundo para o terceiro milênio e nada sucedeu que viesse a nos amedrontar como o alinhamento dos planetas e a queda de asteroides sobre o nosso planeta.

Mas, mesmo assim, os que não têm o que fazer de concreto e proveitoso para a humanidade continuam a insistir nesta mesma tecla do fim do mundo. Outra data de o fim do mundo foi o dia 21 de dezembro de 2012, dia especificado por astrônomos e astrólogos desocupados que, de acordo com o dito popular, possuem suas mentes vazias as quais se tornaram oficina de Satanás. Em minha opinião eles deveriam ter colocado 12 em vez de 21, o que geraria o slogam: "12 do 12 do 12, o fim do mundo";

Os conhecedores da Palavra de Deus sabem que muitas coisas ainda vão acontecer para vir o fim do mundo. Aguardamos o arrebatamento da Igreja, que irá participar das Bodas do Cordeiro, momento em que o mundo experimentará a Grande Tribulação, causada por Deus para castigar todos os habitantes da Terra. No final deste período, Jesus retornará com a Igreja para estabelecer o Milênio, o governo de justiça e paz. No final desta dispensação, Satanás será solto, quando seduzirá as nações para lutarem contra Cristo, ocasião em que todos serão destruídos e o que tiveram seus nomes no livro da vida serão salvos e os demais condenados. Entendo isto como o fim do mundo.

Fonte: Ceifeiros em Chamas, ano 14, nº 179, julho de 2012, página 2, São Paulo, (CONFRADESP) 

Quando-será-o-fim-do-mundo-Antonio-Mardomio

Não perca a identidade


Por Eliseu Oséas Ribeiro

"Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens" - Mateus 5.13.

Tenho por certo que Jesus visualizou esses dias, tempos difíceis, onde necessitamos redobrar nossa vigilância para não perder a nossa identidade, ou seja, quem somos em Cristo Jesus. É um alerta a nos dizer: Não tome a forma, os hábitos, o linguajar desse mundo, lembrem-se que vocês são "Sal e luz".

Aspecto do sal.

O sal possui efeito curativo. Quando esbarramos em algo, esfolamos alguma parte do corpo, ou quando aparece uma afta na boca, é aconselhável colocar sal no local da ferida. Embora pareça terrível e desesperador, o sal age trazendo a cura.

Deste modo nós, os cristãos, se nos antepomos à mentira cultural, à corrupção ou a qualquer ato pecaminoso. Tal característica gera algum desconforto àqueles que assim se comportam, não estranhe se você for rotulado como "chato" ou "radical".

Vamos nos lembrar da nossa identidade., pois foi Jesus quem declarou: vós sois sal".

Provoca sede

Ao degustar uma deliciosa feijoada ou bacalhoada, pratos tipicamente acurados no sal, pouco tempo depois, estamos bebendo muita água, pois outra característica do sal é provocar a vontade de beber água. 

Precisamos entender com muito amor as atitudes de amigos e parentes, no que tange aos questionamentos de nossa conduta e postura de fé, assemelhando-se à Palavra de 1 Pedro 3.15: "... antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós".

Não nos aborreçamos, visualizemos essa situação como oportunidade para expor "a razão da nossa esperança". Reagindo desta maneira, a pessoa vai se calando e passa a nos escutar com atenção. Em situação como essa nos damos conta que as almas têm sede.

Vamos nos lembrar da nossa identidade, pois foi o próprio Jesus que declarou: Vós sois sal".

Conservante

Há um costume, principalmente da região nordeste do nosso Brasil, de  salgar a carne, para ampliar seu tempo tempo de utilidade, pois o sal tem o atributo da preservação.

Dia após dia, este mundo vem se deteriorando, é irreversível o processo de deterioração.

Ponho-me a pensar na seguinte situação: digamos que nossos vizinhos da direita e da esquerda não tenham Jesus como Senhor e Salvador. Então, toda manhã eles correm para ver se ainda estamos em nossas casas, pois quando a Igreja for retirada da Terra, esse mundo se deteriorará por completo-o, chegará ao adiantado estado de putrefação, exalará cheiro muito ruim, devido ao estado avançado de putrefação. O apodrecimento não acontece agora por causa da minha e da sua presença, que somos igreja, estamos preservando-o,

Vamos nos lembrar da nossa identidade, pois foi quem declarou: Vós sois sal".

E.A.G.

Fonte: Revista Renovação da Fé, página 46, ano 16, nº 67, julho a agosto de 2016, São Paulo (PROL Gráfica e Editora). Título original do artigo: "Não perder a identidade". Conteúdo adaptação ao blog.

Nossos dias como discípulos, enfrentam tribulações. Lembremos da Grande Promessa de Jesus: “Eu estarei com vocês todos os dias”


Mateus 28:20 - Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém. 

Os três anos do ministério terreno de Jesus chegaram ao fim, com a morte e com a ressurreição do Cristo. Antes de voltar aos céus, o Mestre fez questão de afirmar: “E lembrem disto: Eu estarei com vocês todos os dias, até o fim dos tempos” (Mateus 28:20).

Por definição, o Senhor é eterno. Isto é, Ele não pode ser limitado pelo tempo. O tempo é o recurso de duração, usado pelo Criador, para que as criaturas humanas, adotadas como filhos, cheguem até a “estatura do Varão perfeito, em Cristo Jesus”. Por isso, quando vier a “nova terra”, após o juízo final, não haverá mais tempo.

A grande bênção, garantida por Jesus, entretanto, está na Sua promessa: “Eu estarei com vocês todos os dias”, enquanto houver dias. Nossos dias como discípulos, enfrentam tribulações. Nossas tribulações, porém, são temporais e contam com a presença e com a intervenção de Cristo, o Senhor dos tempos. O Cristo eterno nos garante vitória, até que o nosso tempo seja consumado!

mensagem do Pr. Olavo Feijó
em "A Consumação Do Meu Tempo" 
artigo/3890/a-consumação-do-meu-tempo
Foto: internet

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

A importância de comunicar-se bem

A nossa língua portuguesa é bonita, mas também é complicada, repleta de normas, exceções e truques. Para obter domínio sobre ela, é preciso muita vontade, treino e estudo.

Saber escrever e falar bem demonstra cultura, mostra que a pessoa lê com regularidade e está preocupada em evoluir intelectualmente. Aquele que falha na arte da boa comunicação perde um pouco o seu brilho nas relações interpessoais. Falar e escrever bem ajuda na hora de arrumar um emprego, conseguir promoção e até mesmo conquistar namorado ou namorada.

No mundo do trabalho, falar bem e escrever corretamente são requisitos cada vez mais importantes. Provavelmente, uma pessoa que usa a conjugação de verbos da maneira errada, fala "pobrema" e "seje", tem a ascensão social prejudicada, pois é difícil aceitar erros assim. Até mesmo o texto que contenha uma ótima mensagem é desqualificado por causa de erros simples da grafia.

Outra expressão que deve ser evitada é o modismo "a nível de", muito usada no ambiente empresarial para tentar dar um tom pomposo ao discurso. Este vício de linguagem, o uso de gerúndio sempre que se fala no futuro, surgiu entre operadores de telemarketing. Dizem: "eu vou estar encaminhando a sua reclamação; vou estar emitindo a sua opinião", quando deveriam dizer "eu encaminharei a sua reclamação; vou emitir sua opinião".

Para muitos, coisas assim ultrapassam o nível do suportável. Quem comete equívocos dessas espécies com frequência, com certeza perde excelentes oportunidades na vida.

Clareza comunicativa.

É sempre importante falar e escrever da forma correta, porque isso passa a ideia da origem da pessoa, mostra a sua familiaridade com a leitura e a sua preocupação com a qualidade do que faz. Em tempos de G Plus, Facebook, WhatsApp e outras redes sociais populares, é imprescindível que não se cometa erros grosseiros, pois os equívocos podem ficar registrados na Internet até depois que forem deletados, espalham-se, descontroladamente, e depõem contra quem os comete 

A capacidade de falar e escrever sem erros é uma condição vantajosa, transforma o indivíduo em alguém destacado, dá a ele considerável status social.

Mas, dominar o idioma é só um dos aspectos necessários aos que usam língua portuguesa. Hoje em dia, também é exigido se expressar de forma simples e direta. Não é mais visto com bons olhos redações contendo sentenças formais pomposas, elas transmitem a má impressão de afetação. É necessário simplificar sem beirar ao nível simplório. Não mais são aceitáveis coisas que lembrem os antigos fechos de cartas: "sem mais para o momento, reiteramos os nossos protestos da mais elevada estima e altíssima consideração...". Hoje, espera-se de cada um de nós que sejamos diretos, que em nossa mensagem haja bastante clareza e concisão.

A evolução do idioma.

Os cientistas que estudam a comunicação entre as pessoas têm bons argumentos para questionar o emprego de termos como "certo" e "errado". Dizem que não existe um congresso de sábios, deliberando como falar e escrever, afirmam que a língua se constrói conforme o uso, o que é considerado correto hoje amanhã poderá ser visto como errado, e vice-versa.

Não faltam exemplos na história da língua portuguesa para ser usado como argumento. Um deles, é a concordância usada há 200 anos no caso de palavras que indicam coletivo, como povo, multidão e torcida. O verbo era conjugado no plural: o povo elegeram; a multidão foram embora; a torcida invadiram o campo de futebol.

Dez dicas para melhorar sua escrita.

É fato que a sociedade faz distinção clara entre o certo e o errado. Então, acertar e errar pode representar a diferença entre ser respeitado ou ridicularizado, parecer culto ou ignorante e, num mundo marcado pelas primeiras impressões é importante saber impressionar positivamente.

Atingir o nível de competência no uso da comunicação não é tarefa simples de aprender ou ensinar, e nem decorar. Comunicar-se corretamente é resultado de dedicação. Existem algumas dicas que ajudam quem ainda não chegou lá. A principal é não se deixar amedrontar pela chamada norma culta, que serve de referência para definir o que é acerto e o que é equívoco.

1. Não sinta medo de escrever. Se você consegue se comunicar bem ao ouvir e falar, não existe motivo para insegurança sobre sua capacidade de se expressar também por escrito. 
2. Use o vocabulário que você conhece. Quer aumentar o próprio vocabulário é uma ambição muito positiva. Mas, aprender novos vocábulos exige tempo. Ao fazer isso, corre-se o risco de passar vergonha. Evite o erro de tentar dar ao texto escrito um tom demasiadamente formal, sofisticado em demasia. Você pode sofrer mais do que o necessário para escrever, e o resultado talvez não seja tão satisfatório quanto o seria ao ser redigido de modo mais natural.
3. Na dúvida, vá ao dicionário. Não deixe que as virtudes de seu texto sejam ofuscados por erros de grafia. Se não há certeza, recorra ao glossário.
4. Pense em quem lerá. Antes de começar a redação, pense em quem será o leitor e que conhecimento ele tem sobre o tema a ser abordado. Com isso, defina o grau de detalhamento das informações. Para um especialista, por exemplo, você tem liberdade de para usar jargões da área, que tornam o texto mais econômico, mas para o leigo no assunto é necessário ser mais explicativo.
5. Procure construir sentenças curtas. Sentenças muito longas, com vários períodos intercalados por vírgulas, dificultam a compreensão do texto e pode induzir o leitor para uma interpretação diferente daquilo que deseja expressar. Use frases e parágrafos custos.
6. Faca roteiros para textos longos e complicados. Antes de começar a escrever um conteúdo comprido e difícil, crie a estrutura dele, listando as principais ideias que pretende tratar e a ordem em que elas serão apresentadas. 
7. Evite a prolixidade. Não repita palavras e ideias. A repetição não é crime e nem pecado, mas revela pobreza de vocabulário, torna a redação desinteressante e monótona. Porém, é necessário fugir a sinônimos pouco usuais, antes é melhor voltar a usar uma palavra conhecida do que trocá-la por outra arcaica. Também, tome cuidado com a redundância, escrever além do necessário cansa. 
8. Evite os chavões. Algumas combinações de palavras, de tão usadas, acabam desgastadas. Transformam-se nos chamados clichês ou lugares-comuns. Você já dever ter lido e ouvido muitas vezes: via de regra; na ordem do dia; chegar a um denominador comum.
9. Dedique tempo à leitura. Uma das melhores sugestões para melhorar a escrita é investir na leitura diversificada. Varie os tipos de textos: blog; jornal; revista; romance; poesia.
10. Releia o texto antes de enviá-lo. Reler com tranquilidade o que você escreveu é a melhor forma de descobrir trechos ambíguos e evitar erros grosseiros de ortografia. Se possível, espere algum tempo antes de remetê-lo a um destinatário específico ou publicá-lo na Internet para leitura geral.
Equilibre-se.

Não convém pender para o excesso de informalidade e nem exagerar na dose ao corrigir quem comete erros grosseiros, Não vá exagerar como o patrulheiro da língua e nem como o "bandido" que assassina o idioma de Camões. Convém a moderação, pois os dois extremos pegam mal.

Conclusão.

A norma culta da língua portuguesa tem seu valor. Corrigir os que escrevem ou falam errado pode ser uma atitude positiva, quando a intenção é melhorar o outro e não se mostrar em um patamar de conhecimento acima dos outros. A correção é sempre recomendável no caso de filhos e pessoas queridas do nosso convívio mais próximo.

E.A.G.

Artigo baseado na matéria O Valor do bom Português, assinada por Demétrius Paparounis com colaboração de Renata Costa, publicado na revista Tudo, edição nº 60, 22 de março de 2002, São Paulo (Editora Abril).

Silas Malafaia investigado em esquema de lavagem de dinheiro



O senso comum, quando em raciocínio do nível mediano, às vezes ao reboque do preconceito religioso, quase sempre por causa da letargia ao ato de pensar de maneira inteligente, considera um investigado como se fosse culpado. Sejamos e ajamos como pessoas acima da mediocridade!

Na data de hoje, o Pastor Silas Malafaia é alvo de mandado de condução coercitiva, na esfera da Operação Timóteo, desencadeada nesta manhã, de 16 de dezembro, pela Polícia Federal. A imposição foi decretada pelo juiz Ricardo Augusto Soares Leite, que trabalha na 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília,

A ação policial é batizada de Operação Timóteo fazendo alusão ao texto bíblico encontrado em 1 Timóteo 6.10: "Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores".

O pastor é suspeito de esquema de lavagem de dinheiro em esquema que envolve cobrança de royalties. Como seria o suposto envolvimento? Emprestando contas bancárias da instituição religiosa na qual é o líder religioso, com a finalidade de ocultar o dinheiro desviado de royalties da mineração.

Aproximadamente, 300 policiais federais saíram às ruas para realizar 52 apreensões; 29 conduções coercitivas; 12 prisões temporárias; 4 prisões preventivas; e, 3 sequestros de imóveis. Aconteceram ações em Tocantins; Sergipe; Santa Catarina; Rio Grande do Sul; Pará; Paraná; Bahia, Distrito Federal; Goiás; Mato Grosso; Minas Gerais; e Rio de Janeiro.

Em posts no Twitter, o pastor afirmou que está em São Paulo e vai se apresentar à PF na cidade.

Entenda o caso fraudulento.

Segundo as investigações da Operação Timóteo, o diretor do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), Marco Antônio Valadares Moreira, responsável pela Diretoria de Procedimentos Arrecadatórios da autarquia, oferecia informações privilegiadas sobre dívidas de royalties da exploração mineral a dois escritórios de advocacia e uma empresa de consultoria.

As investigações apontam que a suposta organização criminosa tinha a seguinte estrutura:

1º. núcleo captador, formado por Marco Antônio Valadares Moreira, diretor do DNPM, e sua esposa, que, segundo a PF, procuravams prefeitos interessados em ingressar no esquema;

2º. núcleo operacional, formado por escritórios de advocacia, uma empresa de consultoria registrada em nome da esposa do diretor do DNPM, que exercia liderança no esquema e repassava valores indevidos a agentes públicos. A empresa é de fachada;

3º. núcleo político, composto por políticos e servidores públicos, que contratavam os escritórios de advocacia integrantes do esquema;

4º. núcleo colaborador: responsável pela ocultação e dissimulação do dinheiro desviado.

Entre os integrantes desse núcleo, a PF pretende apurar se há a participação de Malafaia na ocultação de dinheiro ilícito.

Postagens de Malafaia em seu perfil oficial no Twitter (@PastorMalafaia). 

Abaixo, as palavras entre parêntesis são inserções minhas no corpo de texto do pastor.
"Nesta manhã. fui acordado por um telefonema informando que a Polícia Federal esteva na minha casa. Estou em São Paulo e vou me apresentar.
Recebi uma oferta de cem mil reais de um membro da igreja do meu amigo Pastor Michael Abud. Não sei o que ele (ofertante) faz. Tanto é (verdade) que o cheque foi depositado em conta. Por causa disso sou corrupto? Recebo ofertas de inúmeras pessoas e declaro no Imposto de Renda tudo o que recebo. Quer dizer que se alguém for bandido e me der uma oferta, sem eu saber a origem, sou bandido?
(O mandado de condução coercitiva) é a tentativa para me desmoralizar na opinião pública. Não poderia ter sido convidado para depor? Vergonhoso!
Recebi um cheque de um advogado, como recebo inúmeras ofertas e as declaro no Imposto de Renda. Sou responsável pela bandidagem de outros? Estou indignado."

Áudio de Silas Malafaia esclarecendo mais sobre o assunto.

Malafaia conta que há três anos atrás, aproximadamente, recebeu em seu escritório um advogado em companhia do Pastor Michael Abud, o advogado trouxe um cheque no valor de cem mil reais em caráter de oferta, o valor foi depositado em sua conta. Declara que recebeu apenas um cheque, não mais que um cheque, que foi declarado em Imposto de Renda. Descreve a situação como show piroténico feito com a intenção de desmoralizá-lo perante a opinião pública.  Informa que a PF entrou em sua casa, no Rio de Janeiro, enquanto está em São Paulo. Ele pergunta a razão de não ter sido convocado para depor. Comenta que não houve convocação com a intenção de gerar notícia que o desmoraliza. Diz que não é ladrão e não estar envolvido em corrupção.Enfatiza que apenas recebeu uma oferta, que esta oferta está declarada à Receita Federal. Pede que repasse a declaração. Ouça: áudio aqui.

E.A.G.

Com informações de Verdade Gospel, O Estadão, G1.

Silas-Malafaia-investigado-em-esquema-de-lavagem-de-dinheiro-assembleia-de-Deus-vitoria-em-Cristo-ADVEC

Examine a pessoa a si mesma


Em Isaías 40.31 a águia é citada em uma comparação ao crente em Deus.

"Examine-se cada um a si mesmo" - esta é a recomendação do apóstolo Paulo em 1 Coríntios 11.28.

No livro dos Salmos (143.8) lemos a seguinte oração, que é o pedido de ajuda à autoanálise: "Faze-me ouvir, pela manhã, da tua graça, pois em ti confio; mostra-me o caminho por onde devo andar, porque a ti elevo a minha alma" - tradução Almeida Revista e Atualizada.

Portanto, sem pressa, todos nós precisamos a cada novo dia reflitir o seguinte: Uma ação de bravura mostra nosso bom ânimo intensamente; uma atitude de civilidade apresenta nosso lado longânime; um gesto de amizade nos aproxima do próximo por meio da paz; e o gesto de obediência às determinações de Cristo nos mantém em comunhão com Deus.

E.A.G.

Examine a pessoa a si mesma Examine-a-pessoa-a-si-mesma-1-Corintios-11-28-Salmos-143-8-ave-aguia-observa-se-no-espelho-dagua

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

O Papai Noel e o menino pobre


Três truques para aproveitar melhor os nutrientes das frutas

Cesta de frutas e legumes.


Coma a casca!


"As cascas das frutas também possuem nutrientes e, muitas vezes, apresentam um teor maior de fibras do que as polpas", comenta Rebeca Benares, nutricionista do Frozen Spa. Frutas como ameixa, uva e damasco (in natura ou secas), maçã, carambola, tâmara, figo, maracujá, goiaba e laranja-pera com bagaço são as que têm maior índice dessas substâncias, ideais para fazer seu intestino funcionar corretamente.

Modo de conservar

Para um melhor aproveitamento dos benefícios das frutas, é indicado que elas sejam armazenadas de maneira individual e inteiras na geladeira. Quando já estiverem cortadas ou descascadas, devem passar por uma nova higienização antes do consumo. Para ajudar na conservação, adicione algumas gotas de limão para evitar o escurecimento da polpa.

Na hora de adoçar

Consumir as frutas in natura ou na forma de suco é o mais recomendado. Mas quando sentir necessidade de adoçar a bebida (ou fruta), prefira os adoçantes naturais, como o mel que é mais saudável e saboroso, e o adoçante de estévia, que é 300 vezes mais doce que a sacarose. Mesmo assim, não abuse do mel.

• Indivíduos diabéticos devem evitar o consumo de mel e, quando necessário, fazer uso de edulcorantes naturais, como a estévia pura.

• Não é recomendado o consumo do mel por crianças menores de 1 ano.

Texto escrito por Julia Prado em consulta a Rebeca Benares, nutricionista. Fonte: Só Dietas, ano 7, nº 22, ano 2012, Bauru/SP (Alto Astral Editora).

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.