Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

terça-feira, 14 de junho de 2016

O atentado de Omar Mateen em Orlando - terrorista homossexual ou jihadista?


A selfie de Omar Mateen: o terrorista homossexual ou jihadista?
A selfie de um terrorista.
O perfil resumido do terrorista

Investigado pelo FBI, Omar agia como uma pessoa portadora de boa saúde mental, e safou-se da lei talvez por ser filiado ao liberal Partido Democrata, no qual o presidente Barack Obama, o ex-presidente Bill Clinton e a candidata à presidência Hillary Clinton também estão filiados. Publicamente, demonstrava possuir tolerância com os homossexuais e não escondia seu interesse pela carreira policial. 

Porém, na intimidade familiar o doente assassino não escondia seu radicalismo islâmico, e chegou a fazer discursos inflamados influenciado por vídeos jihadistas idiotas, que acessava em sites na internet. Era violento, agredia fisicamente sua então esposa Sitora Yusufiy, cometia abusos contra ela, não permitia que tivesse contato com sua família, e a mantinha prisioneira dentro de casa; Sitora sobreviveu aos seus ataques porque fugiu apenas com as roupas do corpo e foi envolvida pela firme proteção dos pais.

Omar Mateen, frequentou reuniões em mesquitas, era muçulmano fundamentalista, mas não se declarava assim abertamente. Comprou armas e num ataque em massa matou homossexuais.

Durante o frenesi de assassinatos, sobre o odor das mortes e entre os gemidos de suas vítimas, Mateen demonstrou alguma espécie de ligação com o Estado Islâmico – durante a matança ele fez chamadas telefônicas para o número 911, o canal de emergência nos EUA, e várias vezes jurou lealdade ao líder do Estado Islâmico - e o grupo terrorista reivindica a autoria do ataque descrevendo Omar Mateen como um de seus soldados do califado.

Omar Mateen era homofóbico? Talvez, sim. Contra os fatos não existem argumentos.

Omar Mateen era homossexual? Talvez, sim. Sobreviventes do massacre e vizinhos da boate relataram que Mateen era figura conhecida do local. Sitora Yusufiy, divorciada de Mateen desde 2011 e agora noiva do brasileiro Marcio Dias, relatou ao FBI que seu ex-marido tinha “tendências homossexuais”. Em entrevista exclusiva ao Jornal do SBT transmitida na segunda-feira, 13 de junho, em Boulder, Colorado, Dias afirmou que o FBI pediu a Sitora para não falar sobre essas tendências para a imprensa americana. Esta solicitação causa estranheza.

A motivação

O pai de Omar Mateen, Mir Seddique, um muçulmano de origem afegã, em declaração à rede de televisão NBC, disse que Mateen estava irritado contra os homossexuais após presenciar dois homens se beijando na frente de seu filho, ainda uma criança, nas ruas de Miami alguns meses antes do atentado na discoteca Pulse, na cidade de Orlando, estado da Flórida, Estados Unidos.

A barbárie

Quando Omar Mateen invadiu a discoteca e disparou centenas de tiros com um rifle AR-15, fazendo 49 vítimas fatais e ferindo gravemente outras 53, fez com que a madrugada de domingo, 12 de junho de 2016, fosse marcada pela dor do povo norte americano e de todas as sociedades civilizadas, e assim transformou-se no exemplo que mais se aproxima do que realmente é uma pessoa demente, portadora de homofobia. E com sua mente estragada, atiçada por um ódio inaceitável propagado pelo Estado Islâmico, entrou para a história como o promotor da mais monstruosa chacina contra pessoas de conduta homossexual, em território norte-americano e talvez até me nível mundial.

Nada justifica qualquer espécie de violência contra pessoas, sejam elas heterossexuais ou homossexuais. Uma coisa é discordar das ideologias da militância LGBT, e pensamentos diferentes, outra diametralmente oposta é agredir gays e héteros, por questões de pensamentos e estilos de vida diferentes.

Trechos do Alcorão

Para os muçulmanos fundamentalistas, os homossexuais são considerados infiéis, assim como consideram infiéis os cristãos, os judeus – que eles odeiam e também matam sem nenhuma demonstração de piedade.

"Infundiremos terror nos corações dos incrédulos, por terem atribuído a Deus, sem que Ele lhes tivesse conferido autoridade alguma para isso." (Alcorão 3:151).

"O castigo, para aqueles que lutam contra Deus [Islã] e contra o Seu Mensageiro [Maomé] e semeiam a corrupção na terra, é que sejam mortos, ou crucificados, ou lhes seja decepada a mão e o pé opostos, ou banidos. Tal será, para eles, um aviltamento nesse mundo e, no outro, sofrerão um severo castigo." (Alcorão 5:33).

Conclusão

Com este lamentável ataque de Omar Mateen na danceteria Pulse, podemos exemplificar o que é realmente uma ação homofóbica, e o que é agir como alguém homofóbico.

A mídia possui muitas pessoas homossexuais em postos-chave, diante desta terrível e lamentável notícia, faz contagem de mortos e declara seus nomes, homenageia-os. Estremece. Não levanta a cabeça, não levanta a voz contra o algoz. Demonstra medo da reação de jihadistas islâmicos radicais, tem atitudes pífias diante desta patente homofobia. Surpreendentemente, está passiva. Imprevisivelmente, está idiotizada... Esperamos que apenas esteja momentaneamente  assim, não seja assim.

Que vergonha! 

E.A.G.

Nenhum comentário:

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.