Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Cosmovisão missionária


EBD-CPAD-Lições Bíblicas - Adultos: Maravilhosa Graça o evangelho de Jesus Cristo revelado na carta aos Romanos. Autor: José Gonçalves. Lição 12: Cosmovisão missionária
Por Eliseu Antonio Gomes

A ordem dada por Jesus aos seus discípulos, após a sua ressurreição, foi para que fossem e ensinassem todas as nações, batizasse-as em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo, e orientasse-as a reter no coração todas as coisas que Ele mandou praticar. Esta ordem é chamada comumente de A Grande Comissão. É o apelo de Jesus para os discípulos difundirem o Evangelho, é a tarefa que o apóstolo Paulo encarou, corajosamente, após sua conversão.

O amor de Deus pela humanidade é incomensurável. "Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" - João 3.16.

O amor de Deus pela humanidade não é um simples sentimento, mas uma atitude concreta de salvação: o envio de seu Filho Jesus Cristo por meio da missão sacrificial. É um amor redentor, que envia e alcança o perdido, e que se entrega voluntariamente. É um amor profundamente missionário.

Anunciar o Evangelho é uma ordenança de Jesus Cristo para a Igreja. "Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo" - Mateus 28.19.

Cada vez que a Grande Comissão é apresentada, surge uma ênfase diferente. Em Mateus, Jesus envia os discípulos a fazer outros discípulos, batizá-los e assim integrá-los dentro da vida da igreja e ensiná-los a obedecer a tudo que Jesus ordenou. Em Marcos, somos chamados a pregar; em Lucas, a testemunhar; e, em João,a representar Jesus.

A Grande Comissão de acordo com Mateus é significativamente normativa para o avanço missionário da Igreja. Estudiosos, principalmente nas últimas décadas, têm concordado em sugerir que o último capítulo do primeiro Evangelho serve como o ponto de partida para toda a narrativa de Mateus; o escritor coloca o mandamento de Cristo no final, porém, o tem como alvo.

A autoridade de Jesus impulsiona a Igreja a ir; é uma consequência, não uma opção. Por causa da autoridade concedida a Jesus, os seus discípulos devem ir às nações, literalmente às "etnias".

O termo "fazei discípulos" vem de um verbo que não existe em português; fazer discípulos é a tarefa da Igreja gerar mais seguidores de Jesus Cristo. Esta tarefa é a missão da Igreja através da Palavra e da ação de compaixão da Igreja. Gente de todas as nações. O escopo da obra missionária é mundial, deve alcançar todas as nações da terra (24.14; Atos 1.8). 

A Igreja tem como missão primordial educar e evangelizar. "Ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século" - Mateus 28.20.

Jesus estabeleceu um método reprodutivo prioritário para missões. Este é o método recomendado por Jesus: ensinar o que Jesus ensinou, ensinar a dependência do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ensinar a praticar a fé, e não apenas saber a seu respeito.

Mateus começou seu evangelho falando do Emanuel, o Deus conosco (1.23), e termina com com a promessa sublime de Jesus Cristo, declarando que está conosco até o final da história.

O segundo aspecto do "fazer discípulos" é ensinar aos novos discípulos "todas as coisas que vos tenho ordenado", a fim de que eles possam obedecer à lei real, a lei de Jesus Cristo. Os ensinos de Jesus Cristo precisam ser guardados pelos seus discípulos (Salmos 119.11). 

A Igreja deve alcançar os confins da terra. "Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra" - Atos 1.8.

Jesus, ao comissionar seus discípulos para alcançarem o mundo com sua mensagem, prometeu a provisão de que os discípulos precisavam para serem bem-sucedidos, não prometeu aos seus discípulos autoridade ou influência. Em vez disso  ele lhes prometeu "poder", o único recurso de que eles de fato precisavam para fazer bem  o trabalho que lhes tinha dado.

Lucas usa o termo "poder" de uma maneira especial com Jesus e a Igreja, revelando assim a natureza dinâmica da concepção divina da vida humana e do cosmo, descrevendo a capacitação nas atividades de evangelismo realizadas pelos seguidores de Cristo, "poder" que garante que o trabalho obtenha resultados bem-sucedidos.

Poder é palavra traduzida do vocábulo grego "dúnamis", que, além de "poder", também significa "habilidade" e "capacitação".  O poder, a habilidade e a capacitação, provém da graça de Deus. Através da graça divina realizamos o que seria impossível fazermos por nós mesmos. Após a capacitação, Jesus prometeu aos discípulos a presença do Espírito Santo, que trabalharia por meio deles, para realizar o plano de Deus.

A salvação e a santificação  não são uma questão de obedecer a um conjunto de instruções, mas de depender do Espírito Santo que habita em nós para nos transformar de dentro para fora (Romanos 8.1-17).

"Marturos", também do grego, significa dar  um relato, ou testemunho, dos fatos em primeira mão na esfera legal. Também testemunhar de verdades ou confessar convicções (Atos 14.12; 23.11). Dessa palavra grega está associada "mártir", porque muitas testemunhas morreram pela fé.

Como as pessoas ouvirão o Evangelho se não há quem pregue? "Como, porém, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem nada ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? Como está escrito: Quão formosos são os pés dos que anunciam coisas boas!" - Romanos 10.14-15.

Ao reservar um espaço na Carta aos Romanos, para tratar do seu projeto missionário, Paulo desejava que os crentes romanos compartilhassem do propósito de sua chamada, isto é, a conversão do mundo gentílico.

Paulo se inclui como quem prega e, por implicação, inclui todos os missionários na história da comunicação da fé. O apóstolo demonstra, em sua redação de Paulo aos crentes de Roma, a predisposição para anunciar a Cristo onde Ele não fora anunciado e apresenta a esperança renovada na missão de Deus lhe deu. Estas duas características são características que brotam naturalmente no coração do leitor que lê a Carta aos Romanos, quando a leitura é feita com o coração aberto para ouvir o Senhor falar.

Como os anunciadores pregarão se não forem enviados?  "Esforçando-me, deste modo, por pregar o evangelho, não onde Cristo já fora anunciado, para não edificar sobre fundamento alheio" - Romanos 15.20.

O evangelho exige o envio de mensageiros. E se há uma característica de Paulo que podemos confirmar na Carta aos Romanos é o seu fervor missionário. O apóstolo era um homem com coração inteiramente voltado para missões. Sua vocação era principalmente entre os gentios (Atos 9.15; 15.12; Romanos 1.5; 15.18; Gálatas 1.16; 2.2, 7; Efésios 3.8; 1 Timóteo 2.7), mas ele sempre mantinha um olho no seu povo segundo a carne - os judeus (Romanos 11.13-14).

O capítulo 15 da Carta aos Romanos mostra a predisposição de Paulo em anunciar a Cristo a quem nunca ouviu falar sobre o Salvador (versículo 20). Esta visão missionária, honesta, ética, é a mais fiel ao Evangelho, pois não está voltada para um projeto de extensão de instituições religiosas, mas em alcançar corações  e mentes que ainda não conhecem a Deus e a justiça do Reino.

Conclusão

Assim como o ministério de evangelismo de Paulo era instrumentalizado pelo Espírito Santo, o Movimento Pentecostal da atualidade é a mais poderosa força geradora de missões, porque dá lugar a ação sobrenatural do Espírito Santo. O Espírito Santo é o responsável  e dá ao cristão o poder de convencimento ao mundo perdido de que Jesus Cristo está vivo e salva o pecador perdido.

E.A.G.

Compilações:
Bíblia Missionária de Estudo, páginas 937, 938, 1032, 1068, 1154, edição 2014,  Barueri / SP, (SBB).
Ensinador Cristão, ano 17, nº 66, página 42, abril a junho de 2016, Rio de Janeiro (CPAD). 
Lições Bíblicas - Professor - Maravilhosa Graça - O evangelho de Jesus Cristo revelado na carta aos Romanos; José Gonçalves, 2º trimestre de 2016, página 88, Rio de Janeiro (CPAD). 

Nenhum comentário:

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.