Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

sábado, 30 de junho de 2012

O Evangelho de Cristo e os evangelistas e telespectadores de programas evangélicos na televisão brasileira



Neste texto cito nomes de pregadores, ao fazer citação não emito parecer sobre a doutrina que eles pregam. Sobre o parecer, afirmo que devemos ouvir e avaliar o conteúdo usando a Bíblia Sagrada como base para aprovação ou reprovação.

Jesus mandou ir por todo o mundo pregar o Evangelho para todas as criaturas, batizar e salvar os que cressem, ensinar a Palavra às nações (Mateus 28.19; Marcos 16.15-16). Na geração da tecnologia, o televisor é um ótimo instrumento para propagar a Palavra de Deus, e muitos fazem uso dele para ouvir diversos pregadores cristãos de denominações evangélicas distintas.

Você sentir afinidade por uma denominação, ou não sentir nada por ela, é normal e aceitável. Você gostar da figura e estilo de um pregador apresentar a Palavra, ou desgostar, idem. Entretanto, tanto ser fã de Silas Malafaia, ou outro televangelista, como ser uma pessoa anti-Malafaia, ou contrário a outros, é um erro se o antagonismo estiver em nível pessoal.

Você não gosta do Edir Macedo? Apresente a Palavra de Deus contra as ações erradas que vê no ministérios dele. Você detesta o sujeito mal educado Caio Fabio? Ore por ele e apresente os textos bíblicos que trazem à luz os pecados dele. Não tolera a contundência do Malafaia? Mostre-nos as passagens das Escrituras sobre essa situação. Não vai com a cara do Marco Feliciano? Use a Bíblia e esforce-se para esclarecer qual a maneira que considera conveniente portar-se como cristão. Apologia bíblica é combater o pecado e nunca os pecadores.

Da mesma maneira que idolatrar uma pessoa, usar o ódio ou a indiferença contra essa mesma pessoa se consiste em pecado. As duas extremidades de sentimentos não são licenças para idolatrar ou tornar-se inimigo de instituições e pessoas. As duas atitudes são configuradas claramente como pecados na Bíblia Sagrada. 

Não é possível ser cristão na concepção da palavra e adotar um desses dois procedimentos. O fanatismo despreza o posto que pertence a Deus; o ódio e a indiferença são sinais de desprezo ao mandamento de amor ao próximo. 

Liberdade de expressão

Ninguém deve viver a vida cristã como se fosse um faz-de-conta. Lamentavelmente são muitos que vivem assim, em relacionamentos iguais aos de pessoas que estão no mundo e ainda não tiveram a oportunidade de conhecer a Cristo. Quem quiser opinar, opine sem medo algum. Mas com o devido cuidado para que a opinião não esteja influenciada pelo preconceito e a antipatia de gente anticristã.

Os telespectadores cristãos na frente da TV

Viver a fé cristã significa seguir as orientações de Cristo, encontradas no Novo Testamento, e uma dessas orientações é usar a pureza na comunicação (Efésios 5.4). Mas uma parcela de religiosos, críticos de televangelistas, fãs e opositores em nível pessoal, com alguma frequência costumam desprezar essa orientação.

Ame o outro como a si mesmo (isso também tem a ver com zelo pela reputação alheia).  O uso de adjetivos encontrados na Bíblia, por exemplo lobo, não torna alguém em lobo.  Essa adjetivação, e outras encontradas nas páginas bíblicas, em muitos casos representam apenas a opinião de quem as emite e não o caráter de quem a recebe.

As pessoas classificadas por muitos críticos como lobos, são lideres de denominações enormes, muita gente caminha próxima, segue no mesmo objetivo, de livre e espontânea vontade.

Manutenção

Ninguém contribui com quem está descontente. Se há colaboradores em ministérios cristãos televisivos é porque vivem alguma espécie de retorno. Entendem que há algo de bom e querem compartilhar com outras pessoas.

A contribuição financeira de quem assiste aos programas evangélicos os mantém na televisão. A solicitação de oferta é bastante comum por parte dos televangelistas. No Brasil, RR Soares e Silas Malafaia estão no ar há mais de trinta anos, ininterruptamente. Portanto, muitos brasileiros estão dispostos a que continuem em suas atividades. 

Tudo ocorre dentro da legalidade. Estamos em país livre, com liberdade de professar religião. E quem dá a oferta faz isso espontaneamente.

Costumo dizer aos críticos de gente contra a transmissão de programas evangélicos que o dinheiro aplicado é o que mais há de clareza ao contribuir. O resultado é literalmente visto. Todo ofertante vê o uso do dinheiro que doou ao ligar o seu televisor.

O Brasil é um país com dimensões geográficas e demográficas na proporção continental. Existe gente com condições financeiras em nível abaixo da pobreza, na pobreza, classes média e alta, ricas, milionárias e bilionárias. Essa característica está dentro e fora da igreja. Então, há pastores pastoreando miseráveis e abastados e algumas vezes os valores solicitados causam espanto. Entendo que isso ocorre pela característica do país, com suas diferenças na área econômica. A mesma cifra pode ser considerada alta para uns, mas para outros é irrisória, representa uma semana comendo em restaurantes. 

Conclusão

Considero que opinar sobre a decisão do telespectador sustentar o trabalho evangelístico na televisão é uma espécie de intromissão na vida alheia. Se o dinheiro é de quem oferta, a pessoa ofertante é maior de idade, eu e ninguém tem o direito de dar palpite.

Infelizmente, não é sempre que há respeito aos mantenedores de programas evangélicos na televisão brasileira.

E.A.G.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Marcos 9.36 - confissão de fé

"E Jesus disse-lhe: Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê" (Marcos 9.23).


Marcos 9.36: confissão de fé.

Arte recebida no perfil do Orkut. Infelizmente o artista é desconhecido.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

A igreja evangélica entre pobres e ricos - a assistência social necessária


Eu não sou contra fazer obra assistencial e acredito que não é a missão da igreja acabar com a fome no mundo. Observando as Escrituras Sagradas, noto que o dever da Igreja é primeiramente falar do plano da salvação em Cristo aos perdidos, depois cuidar fisicamente dos necessitados que fazem parte dela. 

A Bíblia Sagrada é clara, temos Jesus como nosso exemplo.

1 - Jesus alimentou multidões. Quais? As que o perseguiam e queriam matá-lo? Não. Após três dias ensinando 4 mil pessoas interessadas em sua mensagem, Jesus supriu a fome delas antes de despedir-se. Apenas quem segundo suas ordens assentou-se pacificamente diante dEle comeu o sanduíche de pão com peixe (Marcos 8.1-9).

2 - Mateus 25.33. Neste texto, Jesus se coloca no lugar de pessoas famintas, sedentas, pessoas desconhecidas pisando a terra estrangeira, sem roupas para vestir, prisioneiras. E mostra o procedimento de quem as atende em suas necessidades e de quem se mostra indiferentes. O primeiro grupo demonstrar amor, são chamadas de ovelhas e convidadas a morar no céu. O segundo grupo demonstra indiferença, é classificado como bodes e mandado ao inferno. Mas, quem são as pessoas do terceiro grupo, que Jesus se coloca no lugar deles? Jesus se representaria como os africanos famintos, que apesar da fome são contumazes assassinos de cristãos? Recentemente muçulmanos mataram uma família brasileira, missionários saídos da Assembleia de Deus, ministério Belenzinho, Lapa - SP.

3- Jesus mandou os apóstolos irem por todo o mundo a pregar o Evangelho para todas as criaturas, batizar e salvar todas as pessoas que cressem, ensinar nações a praticar a Palavra de Deus (Mateus 28.19; Marcos 16.15-16).

O que entendemos disso? Primeiro é necessário alimentar a alma, para que as pessoas entrem no céu. De nada adianta alimentar o corpo, porque um dia esse corpo morre e a alma desnutrida espiritualmente vai para o inferno.

O apóstolo Tiago abordou o assistencialismo cristão. "Todavia, se cumprirdes, conforme a Escritura, a lei real: Amarás a teu próximo como a ti mesmo, bem fazeis" - Tiago 2.8.

Tiago fez menção de crentes pobres e ricos, condenou o ato de fazer acepção de pessoas. Existe quem faça acepção de pobres, desprezando-os. Mas também há quem faça acepção de ricos, considerando-os carnais, avarentos e egoístas apenas porque são privilegiados com bens materiais. 

É preconceito considerar uma pessoa gananciosa, avarenta e egoísta apenas porque ela possui carro importado e mansão, ser dona de fortuna e desfrutar da morada em casa grande e locomoção em carro estrangeiro, essas situações não são sinais de caráter mesquinho.

"A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo" - Tiago 1.27.

Note os adjetivos "orfãos" e "viúvas" e o substantivo "visita" em Tiago 1.27. Esses termos remetem ao relacionamento de proximidade calorosa entre quem tem o que dar e aquele que precisa receber. Só visitamos quem se predispõe a abrir portas. É a relação amistosa de anfitrião e visitante, de amizade. No caso, os membros da Igreja, pois na época em que o texto foi escrito as reuniões de culto eram realizadas em casas, os templos cristãos não existiam.

"Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo? E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento quotidiano, e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí?" - Tiago 2.14-16.

Outra vez chamo a atenção aos vocábulos. O apóstolo aponta para necessitados chamando-os de irmãos e irmãs. Óbvio, ele se referia aos membros da Igreja, ele não falava de pessoas que estão no mundo de pecado, desinteressadas no Evangelho.

Escrevi (aqui) ontem e repito hoje: A missão da igreja não é pegar o dinheiro de crentes e com ele alimentar os descrentes do mundo. Por que não? Dê dinheiro ao viciado em crack, maconha ou cocaína, e ele usará o valor que recebeu para alimentar o vício. Dê alimentos e roupas aos que vivem em casamento adúltero e estará incentivando a continuação do adultério do casal. Paulo escreveu para Timóteo dizendo que a assistência social deveria ser realizada para favorecer os membros fiéis da igreja (1 Timóteo 5.3, 9, 10,14-16).

E.A.G.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Atos "apologéticos" no YouTube


Com alguma frequência encontramos alguns conteúdos “apologéticos” no mais popular site de vídeos da Internet, o YouTube. 

A maior parte dos vídeos são colagens e o resultado é péssimo. Não há possibilidade de saber quais são as linhas de raciocínios dos preletores que aparecem. Os conteúdos são compostos com montagens de diversos fragmentos de preleções, usa-se filmagens com pequenas partes. Apenas trechos, tudo sem uso do começo, meio e fim, das preleções. Temos que fazer o quê com isso? Bater palmas para quem tira falas de seus contextos ou chamar a atenção deles para que sejam sensatos?

Se quem os assiste adota como verdade o vídeo fracionado, frações que são partes integrantes de conteúdos que não conhece completamente, se arrisca a ser manobrado por quem fez as colagens. 

Como cristãos, é preciso amar o próximo como amamos a nós mesmos. Tenho certeza que ninguém deseja ser alvo de editores de vídeos dessa qualidade, nenhuma pessoa mentalmente sã sonha em ser focada assim, com suas falas cortadas e coladas dentro de uma mensagem que nunca foi a linha de raciocínio que ela criou. 

A (i) legalidade 

Além de usar a consciência cristã para observar e entender que essa espécie de vídeo é uma coleção de montagens, é preciso ponderar que o conteúdo das montagens são produtos usados de maneira ilegal. As imagens são extraídas de programas de televisão ou DVDs, que existem sob a lei do Direito Autoral. Quem fez a colagem comete infração penal.

Meu objetivo 

Por fazer este tipo de comentário, algumas vezes fui acusado de corporativismo, ser uma pessoa que está a defender as vítimas das pessoas que criam tais vídeos. Eu sou imparcial. Não existe corporativismo da minha parte, eu não faço parte do corpo de obreiros de nenhuma igreja e nunca quis ser pastor. Sou independente, não vivo de ofertas e nem dízimos de igrejas. É o contrário, eu contribuo com o que tenho.

Estou contra quem faça esses vídeos, mas não levo nada para o lado pessoal, apenas passo algumas informações sobre eles. 

O objetivo deles 

Pesquise e veja os editores dos vídeos que assiste. Uma parcela é anônima, outra é declaradamente de pessoas homossexuais e atéias. Em suma, ativistas de causas anticristãs. 

Para minha surpresa, determinada vez eu pesquisei e cheguei em um internauta ateu, debochador de todos os evangélicos e que tinha seus vídeos usados por evangélicos da Assembleia de Deus como fontes. Essa gente quer, e em algumas iniciativas consegue, provocar contenda entre irmãos de fé.

Acusações 

Sobrepostas às edições, geralmente os editores carregam os vídeos com caracteres repletos de acusações, escárnios, textos bíblicos descontextualizados. 

Quando se acusa alguém de viver em desonestidade, sem conhecer claramente a vida da pessoa acusada, a mensagem é apenas a mera calúnia. Não convém acusar sem provas. E convenhamos que um vídeo cheio de edições não seria aceito como peça em tribunal nenhum para condenar quem quer que seja. 

Os editores desses vídeos, temerariamente, dizem que determinados pregadores possuem posses e que tudo que possuem serve apenas para satisfazer seus egos. Não podemos nos esquecer que nem eu e nem você tem o atributo divino da onisciência. O cristão que vigia na preservação de sua fé sabe que só Deus é capaz de sondar os corações, só Ele sabe todas as coisas e portanto tem condições para afirmar se tais acusações procedem ou não.

Acusadores também costumam dizer que obras sociais não são feitas pelos líderes que eles atacam. É uma afirmação quase sempre irresponsável, sem compromisso com a realidade dos fatos. Eles se quer checam o que dizem, não há fonte fidedigna como base. Se quer saber a verdade, a prudência manda que use seus olhos e pernas, vá em pessoa certificar se a acusação procede.

O equívoco teológico

Essa gente acusa líderes religiosos de enriquecimento usando o nome de Deus e que eles deveriam distribuir riquezas aos pobres.

A pobreza não diminui com distribuição de dinheiro, mas com educação e trabalho. Aliado ao assistencialismo é necessário empreender ensino e dar emprego, coisas de competência do governo.

A missão da igreja não é pegar o dinheiro dos crentes e alimentar os descrentes do mundo. Por que não? Dê dinheiro ao viciado em crack, maconha ou cocaína e ele usará o valor que recebeu para alimentar o vício. Dê alimentos e roupas aos que vivem em casamento adúltero e estará incentivando a continuação do adultério do casal. Paulo escreveu para Timóteo dizendo que a assistência social deveria ser realizada para favorecer os membros fiéis da igreja (1 Timóteo 5.3, 9, 10,14-16).

Conclusão

Todo cuidado é pouco. Nunca permita que a sua opinião se estabeleça sobre situações e pessoas a partir de conteúdos criados por internautas desconhecidos. Tenha sempre a Bíblia Sagrada como regra de fé e conduta, examinando tudo e retendo o que promove o bem.

Somos seres humanos limitados, que as Escrituras Sagradas orientam a nunca julgar ninguém pelas aparências. Não julguemos pessoas pelo que aparece no YouTube. Quando desejar ter parecer sobre algo ou alguém, vá as fontes oficiais. As vítimas de acusações geralmente têm seus sites e redes de relacionamentos, em seus espaços encontrará material completo para a sua pesquisa.

E.A.G.

terça-feira, 26 de junho de 2012

O sacrifício vivo que Deus quer


Quando Jesus parou para descansar e tomar água, junto ao poço que o patriarca Jacó abriu, dialogou com uma mulher que ali estava para tirar água. A mulher samaritana levantou a questão sobre qual era o local correto para adoração. Naquela época havia o templo em Jerusalém e também houvera outro, enorme, em Samaria – possivelmente frequentado apenas pelo povoado samaritano.

As ruínas do templo samaritano foram descobertas por arqueólogos e são visitado hoje em dia por turistas.  Ler: Jesus Cristo e o monte Gerisim.

Sobre as construções dos templos judaico e samaritano, é preciso levar em consideração a resposta de Cristo, pois é útil para o denominacionalismo evangélico dos dias atuais, para todos os cristãos que semanalmente frequentam uma denominação cristã. 

A resposta: “Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. - João 4.23-24. 

Jesus explicou para a samaritana que a verdadeira adoração cristã não depende da localização geográfica. Ser um verdadeiro adorador depende do espírito da pessoa e seu objetivo. É preciso o quê?

1 - adoração em espírito - empreender louvores com todo o ser, aplicando intensidade à adoração ao Pai; ser adorador por toda a vida, interna e externamente, e não apenas em alguns momentos; adorar em público e em particular. 

2 - usar a verdade: é preciso adorar sinceramente. Em casa, na reunião no templo, ou outros lugares, dedicar culto ao Senhor com o único interesse de cultuá-lo, jamais com objetivos paralelos. 

"Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional." - Romanos 12.1. 

O culto a Deus que está ao nosso alcance realizar ao Senhor está relacionado aos nossos corpos, vivos. Deus quer nossos membros em sacrifício vivo. Ou seja, quer que vivamos andando no Espírito e evitando praticar as obras da carne (Gálatas 5.16-23). 

Neste processo, é preciso ponderar como lidamos com o amor. Se usamos o dinheiro que temos com ganância e avareza, logo não amamos a Deus e ao próximo, então, não estamos sacrificando nada que seja agradável a Deus. 

"Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria. E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda a boa obra; conforme está escrito: Espalhou, deu aos pobres; a sua justiça permanece para sempre." - 2 Coríntios 9.7-9. 

O que seria uma oferta voluntária agradável ao Senhor? É a entrega do corpo, da alma e do espírito. Também tem a ver com o dinheiro entregue na igreja por iniciativa pessoal, sem pressão alguma de qualquer pessoa. 

Penso que o cristão dizimista se encaixa perfeitamente em 2 Coríntios 9.7-10 ao querer entregar 10% de seu salário, mensalmente, com o objetivo de assim adorar a Deus e praticar amor ao próximo. Se ele entende perfeitamente que a salvação está em Cristo e não em qualquer tipo de contribuição financeira à igreja ou à assistência social, sua atitude colaborativa é aceitável. Quanto ao dinheiro da oferta estar estipulado em porcentagem não invalida a situação, se a pessoa o entrega com alegria em seu coração.

 A relação entre o cristão e a denominação referente ao dinheiro compete apenas ao ofertante e ao pastor solicitante. Vivemos em um país que goza de liberdade religiosa, e se o ofertante é maior de idade pode fazer o que bem quiser com seu dinheiro. Eu, você, qualquer outra pessoa, não temos o direito de pensar em opinar sobre finanças alheias. Deus nos deu livre arbítrio e permite que usemos o dinheiro que temos em mãos como desejamos. Considero uma invasão interferir nas escolhas que o cidadão trabalhador faz com seus salários, quando ele não deseja opinião a respeito. 

E.A.G.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

UBE Blogs e Vinacc produzirão conferência sobre Blogosfera Cristã

Olá, pessoal.

A Administração UBE Blogs em parceria com os realizadores da Vinacc idealizam aos blogueiros e blogueiras, para toda gente que ama ao Senhor, uma conferência sobre a Blogosfera Cristã.

Conheça e divulgue o hotsite deste evento, inaugurado nesta data, e esteja conosco via Google Friend Connect para receber informações atualizadas. ENBLOGUE: Encontro de Blogueiros Evangélicos. 

E.A.G.

domingo, 24 de junho de 2012

Deus precisa de dinheiro?

Pergunta importante: Deus precisava do animal que foi oferecido em sacrifício por Abel? Não. Mas diz a Bíblia que o Senhor se agradou de tal atitude. Foi uma oferta agradável porque foi entregue devocionalmente.

Ocorre de igual forma hoje em dia. Antidizimistas, e anticristãos de modo geral, afirmam que Deus não precisa de dinheiro. Muitos críticos dos pastores que pedem ofertas e dízimos, recusam-se a entregar ou entregam dinheiro na igreja no estilo de Caim, o primeiro filho do casal Adão e Eva que o Senhor rejeitou.

Deus não precisa do seu dinheiro, mas o seu semelhante sim. Através da arrecadação cuida-se das almas, tanto física como espiritualmente. Você ama o próximo como a si mesmo? As passagens bíblicas que abordam o dinheiro sinalizam com clareza o nosso relacionamento com Cristo e com Deus devocionalmente. Quem não é liberal nas finanças geralmente não se importa com o bem-estar de pessoas necessitadas, elas parecem apenas pensar em acumular e usar o dinheiro em benefício próprio.

Acredito que o assunto “dízimo” é o mais polêmico para a cristandade na atualidade. Penso que a fogueira da polêmica não apaga pelo jeito como grande parte da liderança cristã apresenta a questão dos dez por cento. Conheço poucos líderes que esclarecem que a vigência da obrigatoriedade referiu-se aos judeus, poucos afirmam que o cristão precisa adotar o sistema de dízimo com o coração voluntário e decidido a demonstrar na condição de dizimista o amor a Deus e ao próximo.

Infelizmente – palavras de um pastor assembleiano, com aproximadamente 70 anos, jubilado, e com a cabeça ainda bastante lúcida – a má administração do montante arrecadado chama mais atenção do que as boas administrações, que são em números maiores.

Não costumo frisar o livro de Malaquias no assunto dízimo. Gosto de usar Gênesis 14; Gênesis 28; Salmo 110.4; Hebreus 5; e Hebreus 7. Por quê? Porque nessas passagens está claro e patente o relacionamento de Cristo com a Igreja e através de Cristo o relacionamento do ser humano com Deus devocionalmente.

Entregar o dízimo e a oferta na igreja com o coração desejoso de ser alguém usado para abençoar vidas é uma situação que o Senhor se agrada. É um privilégio muito bom fazer parte do grupo de irmãos que sustentam financeiramente missionários no exterior; investem no evangelismo urbano; patrocinam abertura de novos templos; cuidam da manutenção de templos já abertos!

E.A.G.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Pecados no pensamento

Ontem, tive a oportunidade de ouvir uma irmã da igreja falar sobre os pecados cometidos em nível dos pensamentos. Ela ponderou sobre a condição de muita gente cristã e derrotada por causa da devastação de pensamentos errados. Abordou o assunto de um ângulo que eu ainda não havia encontrado.

Tais pensamentos produzem efeitos devastadores contra a própria pessoa que sustenta imaginação má. Isso é um perigo, porque aparentemente tudo está bem, possuem bom relacionamento com todos, tem atividades aceitáveis na igreja, por vezes são até muito admiradas. Então, tendem a acreditar que esteja de bem com Deus. Não basta estar mil maravilhas por fora, o Criador vê o interior de cada um e está ciente se lá dentro tudo é limpo ou igual aos pães bolorentos.

É um grande perigo viver assim,  amar e alimentar pecados imaginados, pecados sexuais e os pecados da mágoa contida, como se não fossem realmente pecados. É preciso haver conversão de fato, deixar de amar a si mesmo. É preciso estar plenamente voltado para Deus com o corpo, com a alma e com o espírito.

A conversão verdadeira passa pela decisão da mudança plena. A melhor definição para essa mudança real - metanoia em grego (μετάνοια) - está revelado em João 3. Trata-se do novo nascimento. O nascer de novo é a metamorfose completa. É um ponto final nos velhos costumes, nos velhos pensamentos, nas velhas intenções, nos velhos objetivos. É transformar-se inteiramente. Mudança de tudo, colocar as  iniciativas próprias em segundo lugar e trilhar o caminho que leva para perto de Deus. É ser uma nova criatura, ser alguém totalmente diferente. 

O apóstolo Paulo comenta sobre a conversão interior. "Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus" - Romanos 12.1-2. A partir da tomada de consciência e atitude em aceitar a Cristo como Salvador, há necessidade de também aceitá-lo como Senhor. Tê-lo como Senhor implica em submissão total, externa e interna, renunciar o homem interior que se esforça para viver a filosofia padronizada da sociedade caída no pecado. 

É preciso querer obedecer ao mandamento de amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos, viver separado dos costumes desse mundo perdido, desistir dos desejos da carne e dos olhos, desvincular-se de ações padronizadas e regidas pelo egoísmo e por ideais contrárias à vontade do Senhor. 

Por mundo, entenda-se o sistema de rebelião contra Deus. Ser mundano é ser alguém egoísta, avarento, orgulhoso, hipócrita, briguento.

Deus não nos conserta, apenas dá condições para que façamos isso. Essa conquista, a capacidade de converter-se, ocorreu quando Jesus Cristo morreu na cruz e ressuscitou ao terceiro dia. Naquele momento da ressurreição, Deus nos deu a condição de escolher viver em santidade ou em pecado. Agora, é possível querer e ser diferente, deixar o estilo de vida desse mundo e viver em novidade de vida

Escolhamos ser santos inteiramente, renovando a cada dia a mente ao usar o entendimento de quem somos e considerando a importância do amor de Deus por nós. Queiramos mostrar Deus em nosso jeito de agir e pensar!

E.A.G.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

A Bíblia Sagrada e a revelação do Espírito Santo (parte 3 de 3)


A Bíblia Sagrada e a revelação do Espírito Santo - parte1

A Bíblia Sagrada e a revelação do Espírito Santo - parte 2

Tenho escrito há algum tempo na Blogosfera que a pratica da autêntica apologética é mostrar o erro, sem enfatizar os errados, e apontar para a solução. Por quê? A luz que recebemos, por intermédio do conhecimento da Palavra de Deus, nos dá discernimento para entender que nosso inimigo não é o nosso semelhante, mas um ser espiritual, o diabo Miremos o alvo certo e deflagremos chumbo grosso apenas nele!

"Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais" - Efésios 6.12.

Me converti nos idos de 1980. Naquela época, editoras de renome em nível nacional lançavam diversos livros com temática escatológica, com vista na virada do século e no fim dos tempos. Eu li alguns livros sobre o Apocalipse, com interpretações que hoje fazem as pessoas rirem, pois os anos mostraram que as interpretações estavam erradas... Escritor com reputação caiu em ridículo, porque quis interpretar textos que não possuem contextualização bíblica que dê suporte para chegar em uma elucidação das simbologias. Existem editoras de renome nacional nessa história, hoje os lançamentos estão fora de catálogo e com certeza jamais voltarão a ser publicados.

A escatologia é terreno perigoso. É o ramo da teologia que menos possui respostas e o que mais coloca teólogos em posições ridículas. Mentes aguçadas perguntam sobre trechos bíblicos que nos levam apenas à superfície das hipóteses.

Entendo que para tudo o que é mais importante a Palavra de Deus é clara e responde sem deixar sombras de dúvidas. O que não importa muito, o que não muda o destino da nossa salvação, não precisa de clareza.

Se a Palavra não explica determinado tema, então nos contentemos com o que estiver revelado. Deuteronômio 29.29 é a resposta para essas situações: "As coisas encobertas são para o Senhor e as reveladas são para nós e nossos filhos."

A regra da hermenêutica diz que Bíblia explica a Bíblia, quando não há contexto que responda um texto então é preferível calar. Exercer humilde e dizer "não sei" em muitas ocasiões é a postura correta.

Certa vez, Spurgeon afirmou que quando alguém procura uma resposta bíblica e não encontra, o erro está em quem procurou, pois não se aprofundou o suficiente na pesquisa. Entendo que para as coisas práticas do viver cristão há respostas, mas para o futuro remoto nem sempre há elucidação.

Os cristãos do primeiro século acreditaram que Jesus voltaria na geração deles. Interpretaram errado as profecias. Não era importante para eles, então Deus não revelou-lhes que haveria vida na Terra por tantos séculos.

Hoje em dia existem muitas suposições sobre As Duas Testemunhas do Apocalipse, perguntam quem seriam elas. Na concepção de uns seriam Moisés e Elias e na de outros a simbologia da Antiga e da Nova Aliança. Não há condição de ter certeza de quem sejam elas. Não existe base para afirmar nada. Toda resposta é apenas conjectura. Eu não respondo este assunto indicando uma ou outra vertente, prefiro ficar em silêncio nas passagens que a Bíblia não apresenta conclusões.

Deus é soberano, e não diz nada além do que seja útil e proveitoso para nós. Precisamos nos contentar apenas com o que estiver revelado. Em momentos de ausência de explicação bíblica, o que importa é exercer nossa humildade.

O silêncio bíblico ocorre porque não é edificante saber tudo no presente momento, algumas informações só poderão edificar vidas na ocasião dos fatos e não antes.

E.A.G.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Paulo e o dualismo da carne versus o espírito

Salmo 51.10: Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto.

"Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto" - Salmo 51.10.

A alma, sede do conhecimento e vontades, vai de encontro à vontade de Deus. É dificil compreender quem negue a existência da oposição da carne ao espírito, se isso está tão claro nas Escrituras Sagradas.

Será que os tais conscientemente fecham os olhos para a obviedade da vida e querem abraçar o ridículo?
"Porque bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado. Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço. E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa.
De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço.
Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros.
Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?
Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado."
Romanos 7.14-25

A Bíblia Sagrada e a revelação do Espírito Santo (parte 2 de 3)

Posso estar engando neste pensamento, que passo a externar. 

Tenho a impressão que alguns líderes cristãos perdem o fio da meada de suas chamadas ministeriais porque desejam estar no centro das atenções. Com esse sentimento tornam-se reféns de seus corações (Jeremias 17.5-9). 

A maneira que eles encontram para chamar a atenção de todos é se posicionando como profundos conhecedores e exegetas das Escrituras Sagradas, acreditando que são capazes de mergulhar mais profundamente nas interpretações bíblicas, mais do que todas as pessoas existentes no mundo, então, pegam textos e os pregam distorcidamente.

Queira ser conhecedor das Escrituras e aplique-se na leitura dela; compartilhe seu conhecimento bíblico. Mas sempre faça essas coisas praticando o amor a Deus, amando a si mesmo mesmo na mesma intensidade que ama ao próximo.

Todo cuidado é pouco, vigie. É necessário buscar o conhecimento bíblico sabendo que o conhecimento ensoberbece e o amor edifica (1 Coríntios 8.1).

 A Bíblia Sagrada e a revelação do Espírito Santo

A Bíblia Sagrada e a revelação do Espírito Santo (parte 3)

E.A.G.

A Bíblia Sagrada e a revelação do Espirito Santo (parte 1 de 3)



A Palavra de Deus está revela na forma escrita: a Bíblia Sagrada. Deus colocou sua Palavra na forma escrita e nos fez inteligentes, nos capacitou a ser pessoas alfabetizadas. Então é preciso ler, é preciso se esforçar para estudar os textos sagrados.

Convém lê-la de maneira devocional. Orando, jejuando.

E também convém lê-la de maneira sistemática, usando o raciocínio aos pés de Jesus Cristo. Muitas passagens bíblicas estão relacionados com o contexto social dos israelitas, de muitos anos atrás. Os textos que temos em mãos são traduções dos idiomas aramaico, hebraico e grego. Usar a mentalidade saudável que Deus preserva em nós fará com que aumentemos a visão espiritual.  Quanto maior a dedicação à leitura maior será o entendimento do propósito do Senhor para nossas vidas.

Algumas pessoas desprezam a leitura e o estudo das Escrituras. Eles citam o texto de 2 Corintios 3.6, "a letra mata", com o intuíto de defender a ideia que basta abrir a página da Bíblia, aleatoriamente, para que o Espírito Santo revele o que o texto comunica. Mas, o apóstolo Paulo escreveu isso fazendo referência à Lei de Moisés - sem autoridade normativa aos cristãos - não às Escrituras Sagradas, não dizia que o conteúdo de Gênesis ao Apocalípse matam.

O Senhor se revela por meio das Escrituras, que você deve se esforçar para ler, conhecer, compreender plenamente. Persista em ler e compartilhar o que leu (2 Timóteo 4.13), tendo em vista que a revelação do Espírito sempre será de acordo com as Escrituras, porque Deus nunca se contradiz (2 Pedro 1.20).

A Bíblia Sagrada e a revelação do Espírito Santo (parte 2).


A Bíblia Sagrada e a revelação do Espírito Santo (parte 3).

E.A.G.

terça-feira, 19 de junho de 2012

Vida moderna - alianças políticas


Luiz Inácio Lula da Silva, nascido em família nordestina de Garanhuns - PE, cofundador da Central Única do Trabalhadores (CUT), cofundador do Partido dos Trabalhadores (PT), duas vezes presidente do Brasil em cujas gestões estreitou laços com os ditadores comunistas Fidel Castro (então presidente de Cuba), Hugo Chavez (presidente da Venezuela) e do muçulmano xiita Mahmoud Ahmadinejad (presidente do Irã, que nega a existência do Holocausto, o martírio de milhões de judeus). Durante os governos de Lula houve o escândalo do Mensalão - sistema corrupto de compra de votos de parlamentares com desvios de dinheiro público, cujo cabeça era o ministro da casa civil José Dirceu. Recentemente, Lula foi acusado por Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal, de tentar impedir a abertura do julgamento do Mensalão.

Paulo Salim Maluf, pais de origem libanesa, duas vezes prefeito da cidade de São Paulo, governador do estado de São Paulo e cadidato à presidência do Brasil. Carreira política cheia de acusações de corrupção e outros crimes. Preso em 2005 pela Polícia Federal. Procurado pela Interpol, devido ao mandato de prisão expedido pela Prefeitura de Nova York, que o acusa de movimentação ilícita de milhões de dólares no sistema financeiro internacional, cujos valores são de origem obscuras.

Fernando Haddad, pai de origem libanesa, filiado ao Partido dos Trabalhadores, ministro da educação entre Julho de 2005 à Janeiro de 2012 nos governos de Lula e Dilma Houssef. Promotor do Kit Gay, programa que incentiva o homossexualismo e promiscuídade precoce de crianças nas escolas de primeiro e segundo graus, e a distribuição de camisa-de-vênus.

Lula deseja transformar Haddad em prefeito da cidade de São Paulo, com a "bênção" de Maluf.

E.A.G.

A objetividade cristã


Como leitor das Escrituras, um amante da Palavra de Deus, eu creio que é da vontade do Senhor que tenhamos metas, objetivos (Salmo 37.4; Filipenses 4.8). 

Não sonhar leva a pessoa ao perigo de perder o sentido de viver, à depressão. Já conheci quem tenha experimentado muitas situações péssimas, aterradoras, no entanto não perderam a vontade de lutar porque tinham objetivos para continuar a viver, no caso era cuidar dos filhos. 

Em minha opinião, a maior guerra que travamos e devemos ter como objetivo vencê-la é contra nós mesmos, contra a natureza humana que se opõe à vontade de Deus. A vida cristã é um combate do espírito contra as iniciativas carnais. Paulo explicitou muito bem isso (Gálatas 5.16-23; Romanos 7.14-25). 

A fé atua pelo amor (Gálatas 5.6). Agir pela carne é estar morto diante do Senhor, pois nenhum empreendimento vale a pena se não for executado através do amor. Essa é a lição conhecidíssima que encontramos na mensagem capitulada em 1 Coríntios 13. 

Viva produzindo as nove características do fruto do Espírito e planeje seu futuro. Viver em comunhão com Deus é o maior revigorante que existe. A alegria do Senhor é a nossa força (Neemias 8.10). 

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Provérbios 21.5 - A importância do uso da diligência


"Os pensamentos do diligente tendem só para a abundância, porém os de todo apressado, tão-somente para a pobreza" - Provérbios 21.5.

A seguir, um relato compartilhado por uma das pessoas que tenho o prazer de dizer que é meu contato no Facebook.

 "Estava pensando em uma história que escutei e não sei se é verídica ou só uma ilustração de algo que se chama diligência.

Um homem trabalhava em uma empresa há muitos anos e depois dele entrou um novo empregado, que foi promovido tempos depois a um cargo que ele gostaria de ocupar.

Muito chateado, ele foi reclamar com o gerente. O chefe ouviu a queixa e prometeu pensar no caso, e em seguida mandou que fosse perguntar em um estabelecimento comercial próximo se vendiam laranjas de uma determinada espécie. Se tivesse que comprasse e trouxesse para ele.

O empregado antigo foi à venda, perguntou pela laranja e disseram que não havia. Voltou e contou. Depois, o chefe chamou o empregado mais novo, que tinha conseguido a promoção, e mandou que ele fizesse a mesma coisa. O funcionário foi e voltou com vários dados: disse que a fruta não estava sendo comercializada, mas que seria possível encontrá-la em outros endereços, já listados por ele, especificou quais espécies de laranjas estavam disponíveis no local que havia ido, e também informou os preços de todas elas.

O funcionário antigo presenciou a cena. Mais tarde, à sós, o chefe lhe disse:

- Você percebeu a razão de não receber a promoção?"

domingo, 17 de junho de 2012

sábado, 16 de junho de 2012

Perfume de Cristo


"E graças a Deus, que sempre nos faz triunfar em Cristo, e por meio de nós manifesta em todo o lugar a fragrância do seu conhecimento" - 2 Coríntios 2.14.

"Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece."  - Filipenses 4.12-13.

Os dois textos bíblicos são usados de maneira interessante por parte da cristandade.  Note bem, Paulo fala em vitória, abundância e fartura. No entanto, há quem faça menção de passagens das Escrituras frisando apenas o lado negativo, a derrota, o abatimento e a fome.

Há algum tempo atrás, a passagem bíblica da carta aos crentes de Filipos era uma citação bastante usada fora de contexto. Usava-se com a ideia de viver a vida cristã em patamar de invencibilidade. Na verdade o texto fala sobre altos e baixos. É incentivo ao cristão para que viva em qualquer tipo de situação mantendo a fidelidade ao Senhor. Passar por fracasso e vitória, experimentar a abastança e passar fome, ser rico ou ser pobre sendo sempre fiel a Deus.

Problemas existem neste mundo, mas não estamos vencidos por eles, na verdade somos mais do que vencedores em Cristo, que nos avisou que os cristãos atravessariam aflições. É importante ter em mente que por maior que seja a crise, o Senhor sempre será maior que elas. Adversidades servem para que sobreaia a vitória, assim como as trevas declaram a utilidade da luz.

Logicamente é certo propagar mensagens que possa trazer conforto ou esperança para alguém. Penso que quando isso é feito usando a verdade com amor o resultado é sempre excelente.

Muitas pessoas são capazes de fazer outras chorarem, sem sentirem-se mal por causarem sofrimento. Só quem tem talento dado por Deus é capaz de fazer quem sofre sorrir, aquele riso gostoso, que causa bem-estar e torna a dor menos intensa. E se isso é realizado com o cheiro de Cristo, pode ter certeza que é da vontade do Senhor.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Idoso espanta assaltante com bengala


No dia 8 de Junho de 2012, câmera de segurança registra tentativa de assalto de motoqueiro e reação de idoso de 78 anos com golpes de bengala.

A imagem foi postada no YouTube e recebeu número grande de visualizações. O fato teria ocorrido em Mairiporã (SP), quando o senhor chegava em casa com as sobrinhas. A mídia jornalística diverge da localização do fato, outras versões dizem que a ocorrência aconteceu em Bauru (SP), e, ainda, em Fortaleza (CE), na porta de uma academia de ginástica.

A situação é atípica. O meliante agia sozinho, geralmente estão em dois ou mais. Caso houvesse outro bandido na retaguarda o desfecho poderia ser uma tragédia. É por este motivo que a polícia recomenda não reagir. Antes preservar a vida do que objetos.

E.A.G.

Eu te vi debaixo da figueira


Não é novidade dizer que existe um incontável número de pessoas ao redor do planeta. Todas possuem uma rotina própria, diferente de todos os demais habitantes da Terra. Elas acordam, consomem o alimento matinal e submergem em suas atividades diárias, cíclicas. Semanalmente espreguiçam-se pelas manhãs em seu domicílio, levantam-se para comparecer ao trabalho, participam de um happy hour às sextas-feiras com os amigos, e depois retornam ao domicílio.

Quando elas acomodam a cabeça no travesseiro, tornam-se iguais ao restante das pessoas no mundo. O ato de bocejar, a cena do revolver o corpo para dormir. Mas, aquele momento entre deitar-se e adormecer é só delas. É o coração batendo, o solilóquio inaudível da alma humana refletindo sobre si mesma e seu papel como ser humano neste mundo. Para alguns, isso é quase imperceptível, para outros é um peso difícil de suportar.

Jesus Cristo vê você com a cabeça posta em seu travesseiro antes de adormecer. Ele sabe quais são os pensamentos que transitam em sua mente, o segredo não partilhado com ninguém. Avalia com precisão seu ritmo cardíaco, constata se o palpitar do seu coração bate feliz ou está pesaroso.

No Evangelho escrito por João, capítulo 1, encontramos a narração sobre como os discípulos passaram a seguir Jesus Cristo. Dispenso breve atenção ao episódio de Natanael. “Filipe achou Natanael, e disse-lhe: Havemos achado aquele de quem Moisés escreveu na lei, e os profetas: Jesus de Nazaré, filho de José. Disse-lhe Natanael: Pode vir alguma coisa boa de Nazaré? Disse-lhe Filipe: Vem, e vê. Jesus viu Natanael vir ter com ele, e disse dele: Eis um verdadeiro israelita, em quem não há dolo. Disse-lhe Natanael: De onde me conheces tu? Jesus respondeu, e disse-lhe: Antes que Filipe te chamasse, te vi eu, estando tu debaixo da figueira. Natanael respondeu, e disse-lhe: Rabi, tu és o Filho de Deus; tu és o Rei de Israel” – João 1.45-49.

Natanael tinha seus momentos de intimidade em solidão. Parecia gostar de ficar alguns instantes só. Não cogitava que era observado. Assim como ele, todos estamos sob observação quando reclinamos a cabeça ao travesseiro.

Deus criou o ser humano para relacionar-se com ele. O coração de cada um de nós espera viver em comunhão com o Criador. Diversas pessoas ao redor do mundo estão em conflito entre interesses pessoais e ter um encontro com Jesus. Sem essa paz, o vazio assola a alma enquanto a cabeça descansa sobre o travesseiro e o sono não a domina completamente. Não é possível encontrar-se com Jesus fisicamente, mas é possível a todo espírito abatido ter um encontro espiritual. Perto de onde estiver deve haver um templo evangélico. Talvez você faça a mesma pergunta de Natanael: “Pode haver coisa boa naquele recinto religioso?” Respondo: Vá e veja.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

A Lei da Semeadura entre crentes e descrentes

"Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna. E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido" - Gálatas 6.7-9 

Ultimamente tenho meditado bastante sobre a Lei da Semeadura, em todos os aspectos dela. A saber,  meditação voltada para minha própria vida, a razão de experimentar sabores e dissabores. E, algumas semanas atrás, conversando com determinada pessoa sobre isso depois ponderei e concluí comigo mesmo algumas coisas.

Primeiro, o pensamento geral: colheremos amanhã o que plantarmos hoje e plantamos no passado, sendo que o pequeno caroço produz uma enormidade de frutos. O mal e o bem voltam multiplicados! 

Em segundo lugar, penso que a semeadura tem origem na Justiça de Deus. Todas as pessoas, os crentes, agnósticos e ateus, são medidos na mesma régua, são pesados na mesma balança. 

Também, cogitei no efeito da semente da incredulidade. É necessário ponderar sobre ela...

"Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé" - Romanos 1.17. 

“De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus” – Romanos 10.17. 

De acordo com os textos de Paulo, penso que estamos dentro de um processo evolutivo espiritual, temos o privilégio de conhecer múltiplas faces da fé em Cristo e em Deus. Crescemos no plano espiritual de acordo com o conhecimento que adquirimos sobre o relacionamento de Deus conosco, através do contato e recebimento e prática da Palavra de Deus em nossas vidas. 

Vivemos estágios na vida de fé. O patamar mais baixo é o ateísmo. Existe o nível em que alguns creem que serão salvos em Cristo, e de fato serão. Outros, creem na salvação da alma mas não acreditam em curas físicas. Eles chegarão ao céu, mas não receberão a misericórdia do livramento de doenças. 

Este é meu modo de entender sobre as sementes, é o meu pensamento que ainda não considero conclusivo. Continuo a ler a Bíblia Sagrada estudando este tema, orando sobre isso.

Unção espiritual nas dispensações da Lei e da Graça

"Enchei-vos do Espírito" - Efésios 5.18.

Breve reflexão sobre a chamada ministerial do profeta Eliseu e de todos os cristãos.

Visitando o blog do Pastor Altair Germano, encontrei o excelente post Eliseu, um líder com propósito. Escrevi meu comentário lá e o adaptei para cá.

Vale relembrar: na passagem bíblica referenciada em 2 Reis 2.9, o profeta Eliseu pediu que houvesse sobre a vida dele porção dobrada do espírito de Elias, assim que este fosse arrebatado. Aconteceu. Ao longo de sua jornada, sem perder a personalidade, sem copiar o jeito de ser da ministração de Elias, Eliseu fez exatamente o dobro de milagres de seu antecessor.

Refletindo mais sobre o episódio da sucessão profética de Elias para Eliseu através da perspectiva da Dispensação da Graça:

Por que solicitar porção dobrada do espírito de Elias parece pedir muito e não é?

Porque até então Jesus não havia se manifestado, se sacrificado, ressuscitado, subido ao céu e o Espírito Santo não houvera descido para ser o Guia do ser humano e fazer morada em nossos corações. Durante a Dispensação da Lei não havia, plenamente, a atuação do Espírito de Deus entre os homens como é possível haver na Dispensação da Graça. Vide: João 14.25-26; 16.13.

Após o evento da cruz, o relacionamento do Espírito com a humanidade não é apenas parcial, não é mais limitado aos fatos circunstanciais no parâmetro da nação israelita. Após o sacrifício perfeito do Filho de Deus no calvário, o sangue de Cristo nos lava de todo pecado e então o Espirito Santo encontra liberdade para estar presente com inteireza na vida de todas as pessoas que se submetem ao Senhor de corpo, alma e espírito. Agora a relação do Espírito é mais ampla, visa nos conduzir à vida eterna, trabalha em favor de todas as almas de todas as nações da Terra.

Eliseu fez o dobro de milagres de Elias. Quanto aos cristãos, Jesus revelou que poderiam fazer obras maiores do que Ele fez, referindo-se ao seu ministério terreno. "Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai" - João 14.12.

No passado a unção era dada sob medida, hoje ela é dada plenamente. Graças ao nosso misericordioso Deus!

"E vós tendes a unção do Santo (...) E a unção que vós recebestes dele, fica em vós (...), a sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim nele permanecereis" - 1 João 2.20 a, 27 a.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Criança de 4 anos some em evento da Igreja Deus é Amor



A garotinha Brenda Gabriela da Silva tem quatro anos de idade; 90 cm de altura; magra; cor branca; cabelo castanho claro, comprido e encaracolado.

A menina desapareceu no domingo próximo passado, 10 de Junho, durante a realização de culto da Igreja Pentecostal Deus é Amor, sede nacional da denominação, no centro da cidade de São Paulo. Brenda estava acompanhada de Geiza Mari Silva, sua mãe, e de um irmão, 8 anos,  quando por volta de 16 horas houve o desaparecimento na porta frontal do templo.

O site da IPDA divulga foto e telefones para quem tiver informações: ligar para 190 - Policia Militar ou à Igreja Pentecostal Deus é Amor 55 11 3347-4702.

Segundo o site G1, a mãe participava de uma passeata, com aproximadamente 60 mil pessoas, em que se comemorava os 50 anos de existência da igreja. A Polícia Militar foi acionada e trabalha no caso.

O filme Gigantes de Aço

A estória deste filme é mais bem elaborada que as produções Robocop, Exterminador do Futuro e Transformers. No ano de 2020, ex-lutador de box usa robô nos ringues fazendo apostas. As disputas entre seres humanos estão proibidas. O Brasil é mencionado em dois momentos.

Ao lado do ator mirim Dakota Goyo, o ator australiano Hugh Jackman (conhecido como o Wolverine de X Men) está bem no papel de Charlie Kenton, junto com a também australiana Evangeline Lilly, do seriado Lost.

A proposta dos produtores é proporcionar um pouco mais de uma hora de descontração para famílias. Esses dois objetivos são alcançados nesta produção.

Asssisti ao lado da esposa, gostei e recomendo.

terça-feira, 12 de junho de 2012

Alimentando as ovelhas ou divertindo bodes?

Charles Haddon Spurgeon

Existe um mal entre os que professam pertencer aos arraiais de Cristo, um mal tão grosseiro em sua imprudência, que a maioria dos que possuem pouca visão espiritual dificilmente deixará de perceber. Durante as últimas décadas, esse mal tem se desenvolvido em proporções anormais. Tem agido como o fermento, até que toda a massa fique levedada. O diabo raramente criou algo mais perspicaz do que sugerir à igreja que sua missão consiste em prover entretenimento para as pessoas, tendo em vista ganhá-las para Cristo. A igreja abandonou a pregação ousada, como a dos puritanos, em seguida, ela gradualmente amenizou seu testemunho; depois, passou a aceitar e justificar as frivolidades que estavam em voga no mundo, e no passo seguinte, começou a tolerá-las em suas fronteiras; agora, a igreja as adotou sob o pretexto de ganhar as multidões.

Minha primeira contenção é esta: as Escrituras não afirmam, em nenhuma de suas passagens, que prover entretenimento para as pessoas é uma função da igreja. Se esta é uma obra cristã, por que o Senhor Jesus não falou sobre ela? "Ide por todo mundo e pregai o evangelho a toda criatura" (Marcos 16.15). Isso é bastante claro. Se Ele tivesse acrescentado: E oferecei entretenimento para aqueles que não gostam do evangelho, assim teria acontecido. No entanto, tais palavras não se encontram na Bíblia. Sequer ocorreram à mente do Senhor Jesus. E mais: Ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres (Efésios 4.11). Onde aparecem nesse versículo os que providenciaram entretenimento? O Espírito Santo silenciou a respeito deles. Os profetas foram perseguidos porque divertiam as pessoas ou porque recusavam-se a fezê-los? Os concertos de música não têm um rol de mártires.

Novamente, prover entretenimento está em direto antagonismo ao ensino e à vida de Cristo e de seus apóstolos. Qual era a atitude da igreja em relação ao mundo? Vós sois o sal, não o docinho, algo que o mundo desprezará.  Pungente e curta foi a afirmação de nosso Senhor. Deixa aos  mortos o sepultar os próprios mortos (Lucas 9.60). Ele estava falando com terrível seriedade!

Se Cristo houvesse introduzido mais elementos brilhantes e agradáveis em seu ministério, teria sido mais popular em seus resultados, porque seus ensinos eram perscrutadores. Não O vejo atrás do povo dizendo: Pedro, vá atrás do povo e diga-lhe que teremos um culto diferente amanhã, algo atraente e breve, com pouca pregação. Teremos uma noite agradável para as pessoas. Diga-lhes que com certeza realizaremos esse tipo de culto. Vá logo, Pedro, temos de ganhar as pessoas de alguma maneira!

Jesus teve compaixão dos pecadores, lamentou e chorou por eles, mas nunca procurou divertí-los. Em vão, pesquisaremos as cartas do Novo Testamento a fim de encontrar qualquer indício de um evangelho de entretenimento. A mensagem das cartas é: Retirai-vos, separai-vos e purificai-vos! Qualquer coisa que tinha a aparência do mal de brincadeira evidentemente foi deixado fora das cartas. Os apóstolos tinham confiança irrestrita no evangelho, a igreja se reuniu para orar, mas não suplicaram: Senhor, concede aos teus servos que, por meio do prudente e discriminado uso de recreação legítima, mostremos a essas pessoas quão felizes nós somos. Eles não pararam de pregar a Cristo, por isso não tinham tempo para arranjar entretenimento para seus ouvintes. Espalhados por causa da perseguição, foram a muitos lugares pregando o evangelho. Eles transformaram o mundo. Essa é a única diferença! Senhor, limpe a igreja de todo o lixo e baboseira que o diabo impôs sobre ela e traga-nos de volta aos métodos dos apóstolos.

Por último, a missão de prover entretenimento falha em conseguir os resultados desejados. Causa danos entre os novos convertidos. Permitam que falem os negligentes e zombadores, que foram alcançados por um evangelho parcial; que falem os cansados e oprimidos que buscaram paz através de um concerto musical. Levante-se e fale o alcoólatra para quem o entretenimento na forma de drama foi um elo no processo de sua conversão! A resposta é óbvia: a missão de prover entretenimento não produz convertidos verdadeiros. A necessidade atual para o ministro do evangelho é uma instrução bíblica fiel, bem como ardente espiritualidade; uma resulta da outra, assim como o fruto procede da raiz. A necessidade de nossa época é a doutrina bíblica, entendida e experimentada, de tal modo, que produz devoção verdadeira no íntimo dos convertidos.

__________

Nota Belverede:

A reprodução deste artigo é feita em caráter informativo e sua reflexão é recebida parcialmente.

Entendemos que para tudo na vida é preciso manter o equilíbrio. Quanto ao entretenimento não é diferente, é preciso ser moderado.

Ponderamos que nem todas as modalidades de entretenimento se configuram em pecado. É possível ser um autêntico cristão e ao mesmo tempo divertir-se, desde que o divertimento não seja usado nas modalidades que a Bíblia Sagrada o descreve como obras da carne (Gálatas 5.16-23), e não seja uma ação que troca os compromissos evangelísticos e de culto a Deus.

Não é razoável fazer comparação entre a vida dos apóstolos e a vida cristã dos tempos atuais da sociedade brasileira, pois no passado os crentes da Igreja Primitiva estavam em período de perseguição religiosa, eram presos e mortos, então não havia ambiente para promoverem uma festividade aberta, construírem templo religioso, salão de confraternização.

Sugerimos a meditação em Eclesiastes 11.9-10; 12.1-4 e Filipenses 4.8.

Belverede: 5 anos de atividades

Como nasceu o Belverede? Porque ninguém sabe tudo, parece presunção eu dizer que desde os primeiros passos de fé senti a necessidade de compartilhar o que sei sobre o cristianismo. Interpreto o desejo como um ministério cristão.

Gosto de escrever. Por causa desse sentimento montar este blog foi apenas uma  consequência das mais previsíveis. Sendo cristão, nada mais natural construir editorial que pendesse para o lado da expressão da minha fé. E estou fazendo isso aqui há cinco anos.

A maior parte dos leitores encontram os artigos que eu escrevo ao realizarem pesquisas no Google ou outro site similar. Eles não procuram este blogueiro e nem este blog. Esta situação é um incentivo a continuar blogando, pois meu objetivo como blogueiro é exatamente esse, compartilhar temas bíblicos.

Nesta data, o serviço Google Friend Connect marca 584 profiles em contato com o Belverede. Diariamente, segundo o site Histatis, recebo uma média de 1.200 leitores - aconteceram picos que chegaram aos dois mil. O site Neocouter aponta que já atingi 161 países. Os números me deixam alegre, o motivo principal da alegria é saber que são visitas de pessoas pesquisando temas da Bíblia Sagrada.

Quero continuar a escrever e receber a sua visita. Ore a Deus em meu favor, para que Ele permita que possam vir mais cinco, dez, vinte, quarenta anos de blogagem. Que tudo isso aconteça para a glória do Senhor.

Agradeço a todos que visitam este espaço.  Voltem mais vezes.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Amor ao presente século


"Procura vir ter comigo depressa, porque Demas me desamparou, amando o presente século, e foi para tessalônica, Crescente para Galácia, Tito para Dalmácia. Só Lucas está comigo. Toma Marcos, e traze-o contigo, porque me é muito útil para o ministério" - 2 Timóteo 4.9-11.

"Quando vieres, traze a capa que deixei em trôade, em casa de Carpo, e os livros, principalmente os pergaminhos. Alexandre, o latoeiro, causou-me muitos males; o Senhor lhe pague segundo as suas obras. Tu, guarda-te também dele, porque resistiu muito às nossas palavras. Ninguém me assistiu na minha primeira defesa, antes todos me desampararam. Que isto lhes não seja imputado" - 2 Timóteo 4.13-16.

Há muitas pessoas que buscam ao Senhor apenas quando estão vivendo tempos ruins, se passam por situações complicadas. Quando as adversidades são superadas, isolam-se esquecendo-se que o livramento é dado por Deus; em momentos de felicidade demostram interesse nos prazeres do presente século.

As novidades da geração em que vivemos é envolvente. Existem muitas coisas boas: as amizades, a tecnologia, o conforto. Nada disso é pecado, quando fazemos uso do equilíbrio e colocamos cada uma delas em seus devidos lugares sem a confusão de inversão de valores.

O romance

Foi Deus quem realizou o primeiro casamento, Ele abençoa os casais e seus filhos, quer que todos os solitários vivem em família (Salmo 68.6; 127-1-5).

Se a casa inspira grandes cuidados, é correto orar por ela clamando ao Senhor, ir ao templos cultuar a Deus e ouvir a mensagem do pastor e seus conselhos sobre a situação. E quando a saúde está dentro do lar, as crianças são motivos de alegria e orgulho, precisamos levantar as mãos aos céus e agradecer a Deus e continuar servindo ao Senhor com a mesma intensidade.

O dinheiro

"Quem amar o dinheiro jamais dele se fartará; e quem amar a abundância nunca se fartará da renda; também isto é vaidade" - Eclesiastes 5.10.

O dinheiro pode ser usado como defesa, pois a tudo responde (Eclesiastes 7.12;10.19).  Enriquecer com trabalho honesto é bênção dada por Deus, não há erro algum desejar tal prosperidade (Provérbios 13.11; Eclesiastes 5.18-20). No entanto, é preciso analisar que trabalha-se para viver e não se vive para trabalhar. Muitas pessoas trocam a família, os amigos, o lazer e a convivência na igreja pelo trabalho. É preciso ter equilíbrio, há bastante situações lícitas e inconveniente (1 Corintios 6.12; 10.23). Não permita que o emprego transforme-o em um ilustre ausente em seu convívio social, o maior prejudicado será você.

Após a morte, a pessoa abastada ganha uma lápide luxuosa com epitáfio admirável, mas isso não define a qualidade de sua existência além-túmulo. Quem é agraciado com as riquezas deve ter em mente que seu amor e sua confiança deve estar depositada no Senhor. Ser rico sem estar conectado em Deus não compensa, pois a riqueza material não compra a alegria da alma e a salvação eterna.

Se você é privilegiado com um grande volume de posses, peça a Deus que também lhe dê sabedoria para usá-lo. O Senhor enriquece pessoas para que elas usem a riqueza em favor do próximo necessitado. Ele não quer que você fique pobre, não pede que entregue tudo o que tem aos outros, apenas que cuide para que seu coração não seja escravo do egoísmo e da avareza. É preciso amar o outro igual ama a si mesmo (Marcos 12.33).

O presente século

Na carta de Paulo, 2 Timóteo 4.9-11; 13-19, lemos o relato entristecido do apóstolo sobre os procedimentos de dois companheiros dele. Demas e Alexandre inverteram valores importantes, esqueceram-se do amor ao próximo.  Na passagem bíblica em epígrafe, eles são apresentados pelas descrições de suas condutas censuráveis, outras são nomeadas por escolhas acertadas: Crescente, Tito, Lucas, Marcos e Timóteo agiram corretamente.

Sobre Demas, é possível cogitar que ele ficou deslumbrado com a vida social da época, abandonou os compromissos na missão evangelística na qual era auxiliar do apóstolo Paulo para divertir-se com as efemeridades existentes em sua época. O erro dele não foi socializar-se, mas trocar Deus pela sociedade, deixar de amar Paulo - que precisava muito de seu auxílio - por momentos de prazeres pessoais.

Alexandre fustigou Paulo em seu momento crítico, quando precisa mais de sua amizade e apoio manisfestou inimizade.

Nunca sejamos alienados. Não há pecado em experimentar o que há de bom neste século, porém, que toda experiência seja vivida com responsabilidade, tendo em mente os parâmetros da Palavra de Deus. Jamais devemos abandonar a proposta que recebemos do Senhor, não devemos esquecer os talentos e dons que temos. Sejamos úteis ao ministério que Deus nos confiou, amando ao Senhor e ao próximo.

Deus permitiu que vivêssemos neste século e que nele fizessémos nossas escolhas. Estamos debaixo da Lei da Semeadura colhendo o que plantamos. Quem plantar o mal jamais colherá o bem, cada um de nós receberemos segundo as nossas obras.

E.A.G.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Critérios bíblicos para ser um pastor, presbítero ou evangelista

Por João Paulo Mendes

A Bíblia estabelece em Tito vários critérios para a constituição de obreiros sobre a igreja, pois é em tal epístola que Paulo dá a Tito o dever de consituir presbíteros [ bispos ], na cidade de Creta. É bem certo que a referida carta trata de outros temas, mas fica claro na mesma que o Apóstolo pontua requisitos indispensáveis para que o aspirante ao episcopado seja separado para tal.

A partir do versículo 5 até o 9, do capítulo primeiro, relacionemos os quesitos, pois para Paulo o obreiro deveria ser:

- irrepreensível;
- marido de uma só mulher;
- que tenha filhos crentes, que não são acusados de dissolução, nem insubordinados;
- não arrogante;
- não irascível;
- não dado ao vinho;
 - não violento;
- não cobiçoso de torpe ganância;
 - hospitaleiro;
- amigo do bem;
- sóbrio;
- justo;
- piedoso;
- que tenha domínio de si;
- apegado à Palavra Fiel que é segundo a doutrina, de modo que tenha poder tanto para exortar pelo reto ensino como para convencer os que o contradizem.

 Há ainda outra relação em 1Tm 3.1-13, vários itens lá listados também estão em Tito, mas citemos alguns dos pontos que não são comuns:

- que não seja neófito, para não suceder que se ensoberbeça...;
- ... é necessário que ele tenha bom testemunho dos de fora...

O motivo do post não é para questionar como estão sendo constituídos obreiros hoje, mas para que você pense, medite, leia os textos apontados e examine se deseja mesmo ser um obreiro na casa de Deus.

Os critérios estabelecidos são divinos, e se você se importa mesmo com o Reino, se deseja ardentemente que os rumos daquilo que está desajustado seja ordenado, se critica muito e "sonha" com uma igreja reavidada, comece por aplicar estes conceitos à sua vida.

Por fim, "fiel é a Palavra, se alguém aspira ao episcopado, excelente obra almeja", (I Tm 3.1).

Fonte: Blog do JP

Artigo postado originalmente com o título "Você Pensa Ser Pastor, Presbítero, Evangelista..."

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Quem é o estranho Fernando Haddad?


Fernando Haddad se lança ao cargo da Prefeitura de São Paulo pelas mãos de Lula e do PT.

Cabe ao eleitorado paulistano saber quem é Haddad. E é dever do candidato esclarecer ao eleitorado da cidade de São Paulo quem ele é.

Não é preciso fazer um grande esforço mental para lembrar quem é essa pessoa. Haddad é o sujeito que foi ministro da educação nos governos de Lula e Dilma Houssef, ele tentou implementar a distribuição de camisinhas-de-vênus para quem ainda está no período da puberdade, tentou colocar nas escolas brasileiras o famigerado Kit Gay, a publicidade do homossexualismo e incentivo à promiscuidade infanto-juvenil  Não obteve sucesso porque a Bancada Evangélica interferiu nos planos dele.

Casado ou solteiro? Ateu, agnóstico, cristão? Hétero ou homossexual? Essas perguntas não são invasivas, elas são do interesse de todas as pessoas que Haddad quer receber votos. Não basta ao candidato passear com o ex-presidente em palanques e programas de televisão com um sorriso no rosto, cabelo e terno alinhados. Campanha política não é propaganda de escova de dente ou creme dental.

No Congresso, Bolsonaro afixou cartaz alertando
 cristãos evangélicos e católicos.
Para o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), Haddad é o candidato do Kit Gay e se eleito fará de sua gestão uma frente que trabalhará fazendo apologia à homossexualidade, na capital do Estado de São Paulo, que é o município com maior densidade demográfica do Brasil.

"Para saber meu futuro, é preciso ver o meu passado", afirma Bolsonaro, lembrando que o eleitorado paulistano precisa conhecer bem os candidatos.


E.A.G.

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.