Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Mateus 6.24-33: O pão de cada dia e a ansiedade

Resumidamente, apresento uma reflexão sobre a relação entre o cristão e a prosperidade segundo a vontade de Deus.

A âmago dessa relação é uma pergunta: quem é servo de quem?

Deus deseja que o cristão seja servido pela prosperidade e não que seja servo dela.

Quem se serve do dinheiro o usa para fins bons, abençoadores. Cuida de si e da família dignamente, financia obras evangelísticas. Etc...

E quem é servo do dinheiro é capaz de mentir, matar, roubar, se prostituir, se deixa ser corrompido e é usado para corromper a muitos.

Alguns textos bíblicos sobre ser servido pela prosperidade:

1 - "A bênção do Senhor enriquece e não acrescenta dores" - Provérbios 10.22;

2 - "Porque a sabedoria serve de defesa, como de defesa serve o dinheiro; mas a excelência do conhecimento é que a sabedoria dá vida ao seu possuidor" - Eclesiastes 7.12;

3 - "Para rir se fazem banquetes, e o vinho produz alegria, e por tudo o dinheiro responde" - Eclesiastes 10.19.

A absoluta incompatibilidade de servir a dois senhores

“Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom” - Mateus 6.24.

O texto esclarece que precisamos buscar a Deus acima das riquezas, e que não devemos tentar servir ao Senhor e ao mesmo tempo às riquezas. Porém, o texto não diz que o rico é impossibilitado de ser servo de Deus.

Servo de Mamom são as pessoas que fazem do dinheiro um deus.

Quando o Criador não é entronizado como Senhor no coração humano, a pessoa despreza a vontade de Deus, e com o objetivos egoístas deixa de amar o próximo. Muitas vezes pode fazer isso almejando enriquecimento. Sem amor ao semelhante, muitos mentem, roubam, matam, aborrecem e abandonam os seus semelhantes. Quem faz essas coisas com o objetivo de enriquecer é servo de Mamom, não tem condições de agradar ao Criador.

Existe também o caso de quem seja socialmente honesto, mas que serve ao dinheiro. Há quem viva para trabalhar, tem mais de um emprego, e esquece-se da esposa e dos filhos, deixa de servir a Deus na igreja. Ele só trabalha, e trabalha, e trabalha. Não vê os filhos, não lhes dá carinho, não tem tempo para a própria mulher e nem tempo para Deus. Estes são servos de Mamom também. O desprezo também é faltar com amor.

Sim, é preciso trabalhar, mas nosso Deus abençoa os trabalhadores que buscam o reino de Deus e sua justiça. Mas os servos do dinheiro não acreditam que se buscarem a Deus em primeiro lugar as demais coisas lhes serão acrescentadas! Elas consideram que “o pão nosso de cada” é única e exclusivamente originada de seu suor.

O valor do cristão

"Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário? Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas?" - Mateus 6.25-26.

Jesus orienta ao cristão para não ser ansioso quanto às coisas básicas da vida: a vestimenta, a comida, a bebida. E garante que Deus suprie todas essas necessidades, porque aos olhos de Deus somos mais preciosos do que tudo o mais que foi criado.

De fato, não é preciso estar ansioso quanto às coisas necessárias dessa vida. Como comida e bebida, mantimentos, vestes. Temos muitas promessas divinas de provisão e podemos descansar nossas mentes acreditando que Deus cumprirá todas elas.

Os pássaros têm os piores suprimentos? E os lírios, são flores feias?

Vale ressaltar que este texto bíblico não dá suporte para esperar de Deus só o pior dessa vida, somente fracassos: pior feijão; pior arroz; a roupa usada e feia; o carro velho e feio; o emprego indigno, sem nenhum prazer, com salário baixo e que lhe causa vergonha.

Jesus disse que, se buscarmos em primeiro lugar o reino de Deus, ou seja, obedecer a Deus, não devemos ser ansiosos porque as demais coisas nos serão acrescentadas. Deus quer acrescentar tudo o que é necessário. Então não precisamos mesmo viver em ansiedade porque Deus quer dar o melhor, o que provoca alegria e bem-estar.

"Agrada-te do Senhor e Ele satisfará os desejos do seu coração" - Salmo 37.4.

O cristão e as preocupações desnecessárias

"E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura? E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam; e eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles" - Mateus 6.27-29.

Com ilustrações claras, Jesus reforça a afirmação que Deus cumprirá suas promessa de provisão, afirma que não é preciso haver solicitações exageradas ao orar, não é necessário preocupar-se com o básico da vida, sobre com o que vestir-se, com o que comer e beber.

Jesus usa como ilustração do cuidado divino um parâmetro alto, cita o rei Salomão, o monarca mais rico de todos os reis hebreus. O nome do filho de Davi não foi citado ao acaso - Deus zela muito pelo bem-estar daqueles que O amam.

Então, os cuidados do Criador seriam cuidados na base da mão-fechada? Não.

Será que você pensa que Deus diz assim? "Olha meu servo, use essa roupinha velha, coloque nos pés esse par de sapatos furados, os furos desses calçados podem ser tapados com pedaços de plásticos dentro das solas! Miséria é humildade!”

Desprezemos o pensamento pessimista. Jesus fez uma ilustração apresentando Salomão, o mais próspero entre os reis da sua geração, para que fique bem claro que é preciso descartar a preocupação. Então, não tenhamos a mente distorcida sobre a bondade de Deus em querer nos abençoar na esfera material.

O cristão e o trabalho

“Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé? Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos?(Porque todas estas coisas os gentios procuram). De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas” - Mateus 6.30, 31, 32.

Mais uma vez Jesus reforça o contexto dizendo que não devemos ficar inquietos com o que comer, beber ou vestir. E refere-se a Deus como nosso Pai, figura amorosa, e enfatiza que Ele sabe que necessitamos das coisas materiais e quer cuidar muito bem de nós.

É importante considerar que Jesus repreendeu os crentes de pouca fé. Devemos buscar a Deus crendo que Ele é galardoador (presenteador) daqueles que O buscam (Hebreus 11.6). Quem prioriza o reino de Deus e a sua justiça é presenteado. Então, não devemos descrer que as promessas de bênçãos materiais não serão cumpridas pelo Senhor.

Ter a mente tranquila quanto aos cuidados do Senhor não significa cruzar os braços, agir como um vagabundo. É preciso ser disposto e se pôr a trabalhar. Deus acompanha os trabalhadores que são fiéis a Ele e lhes prospera em seu serviço. Dá a eles prosperidade: prazer, alegria, sucesso, recompensas, sono para renovar as forças ao dia seguinte, e um salário que lhe garante gozar a vida com muita felicidade.

“E a todo o homem, a quem Deus deu riquezas e bens, e lhe deu poder para delas comer e tomar a sua porção, e gozar do seu trabalho, isto é dom de Deus” - Eclesiastes 5.19. 

Objetivos na mente e dinheiro nas mãos

"Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas" - Mateus 6.33

Cristo finaliza o ensinamento sobre a ansiedade quanto às necessidades básicas dessa vida lembrando que, primeiramente, o cristão deve viver segundo às normas do Reino e da justiça de Deus, e declara que quem assim se comportar todas as coisas necessárias serão acrescentadas na vida dele.

Buscar a Deus e a sua justiça é andar no Espírito e não atender aos deseejos da carne (Gálatas 5.16-23).

Buscar a Deus e sua justiça é priorizar as coisas de cima e desprezar os costumes da terra (Colossenses 3.1-16).

Ao analisar as coisas da carne e da terra, não encontramos nenhum norma bíblica que condena posses de riquezas. Na Palavra de Deus não existe repúdio à prosperidade financeira, mas repúdio à avareza e à ganância.

Por quê? Porque a pessoa avarenta é incapaz de compartilhar o que tem com os necessitados, e quem é dominado pela ganância é disposto a subtrair as coisas do próximo ilicitamente para si. Ou seja, o ávaro e o ganancioso não amam o próximo, conforme a determinação do mandamento do amor ao próximo.

Quem vive no reino de Deus é praticante do amor ao próximo e usa a prosperidade como maneira de expressar amor. Deus lhe supre de tudo o que precisa, ao ponto dele poder abençoar aos outros como a prosperidade que recebeu do Criador e assim sobrar muito para seu uso pessoal.

Quais são as coisas que Deus acrescenta aos que buscam o reino de Deus e sua justiça? Todas as promessas de bênçãos, da esfera espiritual e também da material.

E.A.G.

Nenhum comentário:

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.